Arquivo da tag: deus

Em que Deus você acredita?

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Uma pesquisa do Datafolha publicada hoje na Folha de São Paulo mostra que 97% dos brasileiros acreditam em Deus, 2% são agnósticos e 1% são ateus. Às vésperas da chegada do Papa Bento XVI no Brasil, 64% dos brasileiros se dizem católicos, 10% menos do que numa pesquisa realizada em 1996. 22% são evangélicos, 6% não possuem religião, 3% são espíritas e os outros 5% pertencem a outras religiões.

Acreditar em Deus… A minha professora de história me escreveu há algum tempo uma reflexão muito interessante:

Pessoalmente tenho dificuldades em definir “no que” acredito porque minhas concepções de divindade não condizem com algo que tenha uma forma definida… Não acredito no sagrado como uma coisa, mas convivo diariamente com coisas que, creio eu, são manifestações do sagrado… algo meio panteísta, entende? Não creio em um deus antropomórfico e centralista…creio que sou responsavel por meus atos e não abdico de nada por medo de um juízo final… Tenho dificuldade, no entanto, em definir com exatidão o que seria esse deus-tudo.

Falar em deus é totalmente subjetivo. Deus pode representar bons sentimentos, bons pensamentos, pode representar a humanidade… Creio que o problema da definição são as religiões que transformam Deus num “cara”, no Godot. Na minha humilde opinião, é ridículo temer um ser superior e fingir seguir leis que não são seguidas por ninguém.

Se o nosso país fosse mesmo cristão e católico não precisaríamos de governantes. A religião deveria governar todas as pessoas, porque ela já possui leis suficientes para isto. Vejam os 10 mandamentos, os sete pecados capitais… Para que haver julgamentos na Terra se todos têm certeza do Juízo Final?

Na época do Império Romano, o César era visto como um ser divino. Quando surgiu um cara dizendo ser Deus (aquele tal Jesus), César perseguiu todos os cristãos. Ele, com razão, não queria que adorassem o outro rei e as outras leis. Em 300 um fato que chama a atenção é a quantidade de vezes que os persas chamam Xerxes de divino.

A religião é o ópio do povo. Faz bem ter uma religião, participar de uma comunidade, então as pessoas acabam começando a acreditar em tudo o que é falado para elas… Como disse a Carol, igrejas são locais de paz. Como já disse Leonardo Boff, o problema da Igreja Católica é o alto escalão, mas os padres são pessoas boas que acreditam no que fazem, assim como os reais seguidores (que são menos que metade dos 64%).

Enfim, no que devemos acreditar? Bom… Justamente por religião ser uma crença não há nenhuma certeza. Creio que a religião dominante do nosso país e do mundo inteiro hoje é o cientificismo. Como já disse e repetiu o reverendo várias vezes: se acredita em Deus, não vá ao hospital. Fique em casa orando. Eu gosto da ciência, mas não acho que seja algo exato e acho que existem coisas além da ciência ou pelo menos muito longe de serem descobertas por ela. Então, na minha ingenuidade, prefiro acreditar nas pessoas sem adorar nenhum “deus a nossa imagem e semelhança” e nem um monte de caras loucos de roupa branca e óculos fundo-de-garrafa.

Criando um meme

O Mal Vicioso, melhor blog do Brasil, pela primeira vez resolveu criar um meme. E convida para responder a pergunta “Em que Deus você acredita?” os seguintes amigos blogueiros:

You’re not real after all!

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Google Snuffs Snuffy

Moral da história: Não só ame a Deus sobre todas as coisas, mas também torça para que ele te ame.

Lavagem cerebral

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Ontem fui à missa da Igreja Católica. Deixo a reflexão e a explicação do título por conta de vocês.

Primeira leitura – Confie ou vá ao inferno

Se resume em: Maldito quem confia no homem; bendito quem confia no Senhor

Homem pecador vai pro inferno, quem está com Deus vai pro céu. É impossível viver sem Deus. Quem vive sem Deus vive sem amor no coração, é uma pessoa má, triste e emo.

Jeremias 17, 5-8

5 Eis o que diz o Senhor: “Maldito quem confia no homem e põe na carne toda a sua esperança, afastando o seu coração do Senhor. 6 Será como o cardo na estepe que nem percebe quando chega a felicidade: habitará na aridez do deserto, terra salobre, onde ninguém habita. 7 Bendito quem confia no Senhor e põe no Senhor a sua esperança. 8 É como a árvore plantada à beira da água, que estende as suas raízes para a corrente: nada tem a temer quando vem o calor e a sua folhagem mantém-se sempre verde; em ano de estiagem não se inquieta e não deixa de produzir os seus frutos”.

Segunda leitura – Lógica corintiana

São Paulo mandou uma carta ao Corinthians que, ao invés de prever o resultado do jogo que vai acontecer hoje às 16h (e São Paulo vai ganhar), criava uma lógica totalmente nonsense que não entendo como o clero ainda permite que ela fosse lida ainda hoje:

Coríntios 15, 12.16-20

Irmãos: 12 Se pregamos que Cristo ressuscitou dos mortos, porque dizem alguns no meio de vós que não há ressurreição dos mortos? 16 Se os mortos não ressuscitam, também Cristo não ressuscitou. 17 E se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, ainda estais nos vossos pecados; 18 e assim, os que morreram em Cristo pereceram também. 19 Se é só para a vida presente que temos posta em Cristo a nossa esperança, somos os mais miseráveis de todos os homens. 20 Mas não. Cristo ressuscitou dos mortos, como primícias dos que morreram.

Eu achei que eles dissessem que Cristo era um deus superior, não um mortal normal que ressucita assim como todos os outros.

Evangelho – socialista, mas com um comentário capitalista depois

São Lucas 6, 17.20-26

Naquele tempo, 17 Jesus desceu do monte, na companhia dos Apóstolos, e deteve-Se num sítio plano, com numerosos discípulos e uma grande multidão de toda a Judeia, de Jerusalém e do litoral de Tiro e Sidónia. 20 Erguendo então os olhos para os discípulos, disse: 21 Bem-aventurados vós, os pobres, porque é vosso o reino de Deus. Bem-aventurados vós, que agora tendes fome, porque sereis saciados. 22 Bem-aventurados vós, que agora chorais, porque haveis de rir. Bem-aventurados sereis, quando os homens vos odiarem, quando vos rejeitarem e insultarem e prescreverem o vosso nome como infame, por causa do Filho do homem. 23 Alegrai-vos e exultai nesse dia, porque é grande no Céu a vossa recompensa. Era assim que os seus antepassados tratavam os profetas. 24 Mas ai de vós, os ricos, porque já recebestes a vossa consolação. 25 Ai de vós, que agora estais saciados, porque haveis de ter fome. Ai de vós, que rides agora, porque haveis de entristecer-vos e chorar. 26 Ai de vós, quando todos os homens vos elogiarem. Era assim que os seus antepassados tratavam os falsos profetas.

Jesus Cristo era um cara muito gente boa. Pena que tanta gente o confunde com Deus. Por que ele não pode ser simplesmente um filósofo admirado pelas pessoas?

Mas como eu ia dizendo no título, o evangelho é socialista, mas o comentário do padre foi totalmente capitalista. Ele disse assim: Jesus não se refere aos ricos como aqueles que trabalham duro pra conseguir o seu dinheiro, mas aqueles que roubam, que conseguem seu dinheiro maltratando o outro, etc Ou seja, foda-se o resto se você conseguiu o seu dinheiro trabalhando. O padre já entrou na nossa lógica, trabalho é dinheiro, quem trabalha ganha. Não é uma lógica errada, mas ele indiretamente diz que quem é rico mas conseguiu esse dinheiro “justamente” não precisa ajudar os pobres. Não acho que foi isso que Jesus quis dizer.

Conclusão

Além dos textos, tocaram várias músicas do tipo “Eu confio em Deus, temos que confiar em Deus”. A missa é claramente um local de lavagem cerebral. Mas é engraçado que parece que o padre e toda aquela gente que organiza a Igreja aqui confia cegamente no que está dizendo, então eles também são vítimas. Não sei quem organiza essa “filosofia for dummies”. Será o Vaticano podre-de-rico? É bem provável…

Isso não é uma crítica a quem acredita. Vocês acreditam sem nem conseguir não acreditar, porque já estão acostumados com isso desde que nasceram. Eu tenho pena de vocês, mas nada contra – é sério. E alguns de vocês até tentam levar a sério a mensagem, que é algo legal – fora a lavagem cerebral. Pena que essa mensagem não é levada a sério pelos poderosos que “acreditam em Deus” mas não estão nem aí pra “palavra de Deus” e pros ideais socialistas de Jesus Cristo.

Ideal seria todo mundo ir à Igreja para discutir a sociedade e poderia até ser regido a esses evangelhos de histórias de Jesus Cristo, mas também de outros filósofos – e sem essa estupidez de “O senhor é meu pastor e nada me faltará.”

E, por favor, sem comentários como a lógica de Pascal e esse da Patrícia. Agora falando sério… Como já disse nosso querido amigo Nietzsche:

“Não há amor e bondade suficientes no mundo, para que ainda se possa oferecê-los a seres imaginários”

Almas à venda

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

RAFAEL VC É UM IDIOTA AO QUADRADO MANIPULADO PELO CAPETA.A JUSTIÇA DOS HOMENS É FALHA A DEUS NUNCA FALHA E VC GUSTAVO NÃO PASSA DE UM IDIOTA QUE PELO JEITO VIVE GASTANDO O SEU DINHEIRO COM COISAS QUE NÃO ACRESCENTAM NADA NA SUA VIDA.
SOU RENASCER ATÉ MORRER !!! ESPADA PELO SENHOR PELO APÓSTOLO PELA BISPA E PELA RENASCER!!!
AMO ESSE MINISTÉRIO E ENTREGO AMINHA OFERTA SEMPRE QUE POSSO NA IGREJA , INDEPENDENTE DO QUE OS ENVIADOS DE SATANÁS COMO FALAM DA RENASCER.
SOU RENASCER ATÉ MORRER !!!

(comentários de um homem de Deus no Novo Mundo)

Fé e religião

Ao ler estes discursos do “Irmão Henrique”, me perguntei: a partir de quando a religião deixa de ser uma coisa que motiva a viver para tornar-se apenas alienação? Eu não acredito na religião da mesma forma que não acredito na política – pra mim as duas são farinha do mesmo saco. Tenho um ódio especial por essas novas religiões que surgem todos os dias apenas para atrair fiéis e roubar seu dinheiro.

Na minha cidade, um desses homens de Deus é comprovadamente comprador de votos; o criador dessa tal “Renascer” foi preso junto com a sua esposa. Qual o sentido de toda essa lavagem cerebral e como os homens são tão fracos para serem levados por ela?

Aqui em Santa Catarina, tem se popularizado uma igreja hilária chamada Bola de Neve. As reuniões dos “fiéis” (surfistas) acontece em casinhas com pranchas de surf e uma decoração que parece de surfshop. A Wikipedia diz que: Muitas pessoas que freqüentam dizem que assistir o culto é como assistir a um show. Há a inclusão no louvor de vários ritmos musicais, tais como reggae, entre outros.

Pergunto-me: as pessoas vão lá pra rezar ou pra fazer festa?

Não que a idéia de uma religião divertida seja ruim. Eu sou fã do discordianismo! Mas se for pra acreditar numa religião que é uma piada, então pelo menos leve ela na brincadeira!

Estou sem um link de um vídeo de um pastor muito bom que queria colocar aqui. Foi a Carol que me mostrou, quando ela voltar de viagem ela edita esse post pra colocar.

Essas novas igrejas de fanáticos têm atraído ex-usuários de drogas, que em busca de uma vida nova conseguem deixar de usar drogas “por Deus”. É absurdo e irônico. É a troca de um vício por outro. E depois que as pessoas que passaram a vida usando drogas vêm falar com você dando sermões de que você vai pro inferno? Ah, me dêem licença!

No ano retrasado, eu estudava com um protestante que vivia discutindo comigo. Eu é que puxava as discussões, mas é porque queria entender a mentalidade dele. Ele me disse que eu vou pro inferno, porque eu não acredito em Deus. Se eu acreditasse, eu poderia matar quem eu quisesse, cometer o pecado que quisesse, mas iria pro céu. Ele me disse: “Se Deus não existir, e daí? Mas se Deus existir, eu tenho um lugar no céu e você não. Por isso, você devia pensar bem nessa sua decisão.”

Será que todo religioso é assim? Notem que interessante: o cara não acredita em Deus, mas ele morre de medo de não ter um lugar no paraíso (eu acho esse lance de vida eterna muito monótono…) e por isso vive dando sermões e falando de Deus!

Ah!!! E isso tudo sem falar do pastor louco que disse que os blogs são pagãos!

Sei lá… Não vejo nenhum sentido em tudo isso. Hipocrisia de uma sociedade inteira! Faço questão de linkar de novo o primeiro post da Cabala. Pra mim, esse lance de religião trata-se de pessoas inteligentes se aproveitando de pessoas fracas pra ganhar dinheiro. A maioria de quem se diz religioso é laico. E o resto eu respeito, mas não vejo sentido.

Dá pra fazer uma série sobre religião, falando sobre a grana da Igreja Católica, a Inquisição, o preconceito dentro da religião, o conservadorismo que vai contra a própria fé deles, aqueles fanáticos que criticam uma ficção por ela ser muito bem escrita e eles acabarem ficando em dúvida da sua crença, a briga das religiões em Jerusalém, as religiões orientais… Religião só trouxe problema para o mundo ao invés de solução. Aliás, o reverendo já tá fazendo algo assim lá na Cabala.

Eu posso me contradizer se você me der um bom motivo pra acreditar em outra coisa, mas pra mim essas religiões tratam-se de filosofia for dummies. Relaxem religiosos, curtam a vida e sejam felizes!

Pra finalizar, vai de bônus uma animação sobre a história das religiões que vi lá no Sedentário e Hiperativo:

Mundo absurdo

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Ver as estrelas? Quem se incomoda? Quem tem tempo? Quem sabe? Para ver é necessário saber… Aos poucos elas se vão do espaço, pela luz elétrica e pela fumaça. E o céu perdeu o encanto. Os deuses e anjos que lá moravam foram expulsos. O firmamento foi, assim, separado do nosso destino, a não ser para aqueles que ainda acreditam na astrologia… A ciência desencantou, tirou o encanto, a magia, a aura sagrada do universo.

Que distância entre nós e Galileu! Galileu foi levado à Inquisição por afirmar que os astros estavam arrumados de uma forma diferente da tradicionalmente acreditada. E isso fez com que almas tremessem, lá no fundo, porque a ordem do céu estava ligada ao sentido da vida. Hoje, pouco importa como girem os astros, pouco importa que haja buracos negros no universo e que a luz siga caminhos curvos ou retos. As maravilhas e os enigmas do universo nada têm a ver com os caminhos do homem. O firmamento deixou de falar. Dele não mais vêm nem os sinais dos deuses, nem os sinais para os namorados. Tudo ficou frio.

(Rubem Alves em “Filosofia da ciência: Introdução ao jogo e suas regras”)

Será a ciência dos céticos mais lógica que o senso comum? Faz mais sentido acreditar na ciência do que na religião? Por que um monte de teorias válidas até agora são consideradas “verdadeiras” se nem temos como comprová-las e se nem compreendemos como funcionam? E se a qualquer momento alguém pode aparecer e provar que não é verdadeira?

As respostas do cético são tão absurdas quanto as do religioso. Boas mesmo são as perguntas, que só o filósofo é capaz de fazer.

Ainda do Rubem Alves:

Religião, milagres, astrologia, magia: não são todos absurdos que as pessoas de senso comum freqüentemente aceitam?

O que é um absurdo? O mundo de cada um é sempre lógico do seu ponto de vista.

Imagine-se vivendo na Idade Média. A Terra está no centro do universo; nas profundezas está o inferno e o demônio (e seus vapores sulfurosos até escapam pelos vulcões); tudo está calmo, fixo e tranqüilo; lá em cima giram as estrelas fixadas numa esfera cristalina. Todos sabem que essa é a verdade, e a experiência cotidiana o confirma.

Aí um indivíduo diz que a Terra gira em torno de si mesma e em torno do Sol. Isso não é absurdo?

As marés acontecem porque a água é puxada pelo Sol e pela Lua. Mas como? Haverá cordinhas invisíveis? Dizer que é a força da gravitação não resolve, porque é o mesmo que dizer que uma coisa puxa outra sem fios materiais que as unam. Seja honesto: você entende como isso acontece? Se não entende, por que acredita?

Todo mundo sabe que a tendência de qualquer movimento é o repouso. Pêndulos param, bolas param, automóveis sem gasolina param. Mas o princípio da inércia diz que a tendência do movimento é continuar-se, indefinidamente. Isso não soa absurdo?

Anote isso: é a ciência e não o senso comum que parece ser o mais absurdo.

Vamos julgar Deus?

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Os nazistas venceram a Segunda Guerra mesmo sem o saber. Eles, sem sombra de dúvidas, provaram que Deus está morto, ou sendo otimista, está fora dos negócios. Com o extermínio sistemático de 6 milhões de judeus – o povo escolhido por Deus em pessoa eles mostraram a quem quiser ver que o Imperador está nú.

Quando Samuel Beckett escreveu “Esperando Godot”, ele estava sendo um pouco sacana e eu digo porquê: “God” como devem saber significa em inglês nada mais nada menos que “Deus”, enquanto o sufixo “-ot” em francês quando acrescentado ao final de uma frase a torna um diminutivo. Este é o motivo pelo qual Carlitos, o principal personagem de Charles Chaplin é Carlot na França. Parto do presuposto de que todos já estão de saco cheio de esperar pelo deusinho. Não trata-se de esperar. Trata-se de processá-lo.

Na verdade, 90% das pessoas em todo o mundo são ateus filhos-da-puta. Desculpe pelas palavras fortes mas quem disse que a verdade não dói? Eles somente dizem “acreditar”, mas tudo não passa de palavras vazias. Eles tem medo de perder todo o benefício social que possuem ao “acreditar” e não precisam se preocupar em serem criativas ou interessantes para serem aceitas na comunidade. Também não deixa de ser uma libertação para todas as crianças que são obrigadas a terem educação religiosa sem nunca tiverem tido uma chance de escolher.

Cada faceta da vida moderna foi planejada e realizada sem que houvesse qualquer meio de suporte invisível. Medicina, corporações, política. Nada disso funciona como se algum Deus fosse necessário a equação. No entanto cada vez mais este conceito tem sido usado para fazer as coisas erradas como se fossem certas. É hora de parar. Vamos julgar Godot.

(Rev. Ibrahim Cesar em “Julgando Godot” no Cabala 1001 Gatos de Schrödinger)

Brilhante, em especial o parágrafo sobre os “ateus filhos-da-puta”. A sociedade cria um Deus para usá-lo a seu favor justificando suas falhas e tornando todos os erros “perdoáveis”. Pouca gente tem coragem de assumir que não acredita em Deus ou que duvida de sua existência. Eu não estou em nenhum dos dois lados, mas vivo pensando e a única conclusão que eu já consegui chegar é que eu acredito num mundo melhor, na divindade das pessoas e na minha existência.

Embora o discordianismo seja ao mesmo tempo uma piada disfarçada de religião e uma religião disfarçada de piada, faço minhas as palavras do Rev. Ibrahim Cesar (não me perguntem quem é esse cara). Eu cheguei a conclusão de que o fato de Deus existir (ou não) não é importante… Por que não podemos apenas viver?