Mundo absurdo

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Ver as estrelas? Quem se incomoda? Quem tem tempo? Quem sabe? Para ver é necessário saber… Aos poucos elas se vão do espaço, pela luz elétrica e pela fumaça. E o céu perdeu o encanto. Os deuses e anjos que lá moravam foram expulsos. O firmamento foi, assim, separado do nosso destino, a não ser para aqueles que ainda acreditam na astrologia… A ciência desencantou, tirou o encanto, a magia, a aura sagrada do universo.

Que distância entre nós e Galileu! Galileu foi levado à Inquisição por afirmar que os astros estavam arrumados de uma forma diferente da tradicionalmente acreditada. E isso fez com que almas tremessem, lá no fundo, porque a ordem do céu estava ligada ao sentido da vida. Hoje, pouco importa como girem os astros, pouco importa que haja buracos negros no universo e que a luz siga caminhos curvos ou retos. As maravilhas e os enigmas do universo nada têm a ver com os caminhos do homem. O firmamento deixou de falar. Dele não mais vêm nem os sinais dos deuses, nem os sinais para os namorados. Tudo ficou frio.

(Rubem Alves em “Filosofia da ciência: Introdução ao jogo e suas regras”)

Será a ciência dos céticos mais lógica que o senso comum? Faz mais sentido acreditar na ciência do que na religião? Por que um monte de teorias válidas até agora são consideradas “verdadeiras” se nem temos como comprová-las e se nem compreendemos como funcionam? E se a qualquer momento alguém pode aparecer e provar que não é verdadeira?

As respostas do cético são tão absurdas quanto as do religioso. Boas mesmo são as perguntas, que só o filósofo é capaz de fazer.

Ainda do Rubem Alves:

Religião, milagres, astrologia, magia: não são todos absurdos que as pessoas de senso comum freqüentemente aceitam?

O que é um absurdo? O mundo de cada um é sempre lógico do seu ponto de vista.

Imagine-se vivendo na Idade Média. A Terra está no centro do universo; nas profundezas está o inferno e o demônio (e seus vapores sulfurosos até escapam pelos vulcões); tudo está calmo, fixo e tranqüilo; lá em cima giram as estrelas fixadas numa esfera cristalina. Todos sabem que essa é a verdade, e a experiência cotidiana o confirma.

Aí um indivíduo diz que a Terra gira em torno de si mesma e em torno do Sol. Isso não é absurdo?

As marés acontecem porque a água é puxada pelo Sol e pela Lua. Mas como? Haverá cordinhas invisíveis? Dizer que é a força da gravitação não resolve, porque é o mesmo que dizer que uma coisa puxa outra sem fios materiais que as unam. Seja honesto: você entende como isso acontece? Se não entende, por que acredita?

Todo mundo sabe que a tendência de qualquer movimento é o repouso. Pêndulos param, bolas param, automóveis sem gasolina param. Mas o princípio da inércia diz que a tendência do movimento é continuar-se, indefinidamente. Isso não soa absurdo?

Anote isso: é a ciência e não o senso comum que parece ser o mais absurdo.

7 comentários sobre “Mundo absurdo

  1. é estranho que as vezes a ciência se mostra mais impressionante que a nossa imaginação.
    aí fica aquela dúvida: será mesmo real??
    é simples saber quando algo não existe, mas a existência comprovada de elementos que já fizeram parte de nossos devaneios é mais difícil de engolir que simplesmente a não existencia dos mesmos.
    é tudo muito relativo.. só aos poucos nos acostumaremos com as novas descobertas e entenderemos melhor a ciência, aceitando-a como possibilidades e não absurdos.

Deixe uma resposta