Faltou aula, vagabundo? Vai preso!

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Uma estudante de 15 anos da cidade alemã de Goerlitz será presa por duas semanas como punição por matar aulas persistentemente, informou o Ministério da Educação do Estado da Saxônia, leste do país, na quarta-feira.

Segundo o ministério, a decisão foi tomada por um tribunal de distrito após dos pais da garota não pagarem uma multa e da estudante se recusar a prestar serviços comunitários.

Uma porta-voz do ministério em Dresden disse que não quer comentar sobre a decisão do tribunal. A adolescente faltou a um número significativo de aulas.

A estudante terá de comparecer a uma prisão para cumprir sua sentença de duas semanas dentro de dois meses, segundo o ministério.

[notícia no Terra]

É o Ministério da Educação educando as crianças… O texto dispensa comentários.

11 comentários sobre “Faltou aula, vagabundo? Vai preso!

  1. Ensinar o que não foi perguntado, além de inútil, é uma espécie de estupro cultural.

    (Roberto Freire)

    Ridículo. Todas as pessoas devem ter vontade de aprender e aprender o que elas quiserem. Obrigar alguém a ir a escola, prender alguém que não vai a escola… não tem cabimento. Isso é terrorismo, é ditadura, é algo sem cabimento.

  2. Eu fiquei pensando o que a menina vai aprender com isso. Na real, não sei pra quê servem as prisões se não pra criar monstros. Prender uma menina de 15 anos por faltar a aula? Quem tomou essa decisão é que deveria ser preso!

  3. Olha… Acho errado sim obrigar alguém a fazer algo que ela não deseja fazer, mas, lembrem isso aconteceu na Alemanha não apliquem a realidade da educação brasileira ao fato, aqui como já sabemos a educação está falida mas a realidade de lá pode ser bem diferente da nossa.

  4. “Há algo de podre no reino da Saxônia”
    Tá, a frase era sobre a Dinamarca, mas peninha rígida essa, não? Faz pensar. Em primeiro lugar sobre o que significa a Educação em um lugar onde as punições são penais. Em segundo lugar: o que acontece nessas aulas para que as pessoas queiram tanto gazear. É obvio que se a punição é tão rigida assim, a incidência do “crime” deve ser constante… Ela está sendo punida por ter gazeado ou por os pais terem se negado a pagar uma multa ao Estado? Enfim…
    Como não moro na Saxônia, tudo o que posso fazer é supor…agora é muito triste ver uma adolescente submetida à prisão justamente por este motivo…ora, o repúdio em relação às aulas tenderá a crescer, não?
    No Brasil a Educação está falida, como disse o Marlon, mas ao menos o que vejo em muitos lugares são tentativas de aproximação do aluno com a Escola e não o movimento contrário…
    Só um adendo: na Saxônia tem pena de morte…

  5. agora é muito triste ver uma adolescente submetida à prisão justamente por este motivo…ora, o repúdio em relação às aulas tenderá a crescer, não?

    Ela pode até freqüentar mais as aulas, mas irá obrigada e não pra aprender. Duvido que ela seja melhor educada dessa maneira.

  6. Com certeza… a idéia da aula ficará eternamente associada a de prisão…de punição… Escola deixará de ser local de aprendizagem e será de vigilância, de controle… Ir a escola será uma satisfação social e isso não é aprendizagem, é coerção!
    O repúdio não será apenas em relação às aulas, mas para com toda uma ordem social onde a Escola passa a assumir um papel de protagonista.
    Neste sentido existe um livro (sobre o qual talvez a Fabi já tenha falado) chamado Vigiar e Punir, de Michel Foucault. Neste livro, ainda que ele não aborde diretamente a instituição escolar, ele fala de elementos com a vigilância, a coerção e a disciplina a partir de uma perspectiva histórica e filosófica… É uma leitura bastante conscistente, mas quem não tem medo de Nietzsche costuma aproveitar! ;)

  7. Qual a diferença entre a escola e a prisão, a partir do momento em que a primeira, em muitos casos, está totalmente distante da realidade e dos desejos daqueles que a compõe?
    Sabiam que o ensino publico se tornou obrigatorio, na europa, no século XIX, para que o estado pudesse controlar os trabalhadores das industrias?

    Só para pensar…

Deixe uma resposta