Arquivo da tag: chico buarque

Choro Bandido

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 8 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Estava com vontade de tocar essa música e resolvi procurar a cifra. É normal eu interpretar algumas notas da cifra de forma diferente pra facilitar tocá-la no piano (em geral minha leitura é muito mais fácil mantendo tríades na mão direita e uma nota aleatória no baixo), mas me surpreendi com como ficou diferente minha cifra mental dessa. De fato achei tão curioso que eu acabei escrevendo-a e resolvi postar aqui.

Abaixo está a primeira parte. Em vermelho a cifra do Cifraclub, em azul a minha.

Dm(7M 9)         Dm7/9       G7/4(9) G7(b5) G7(9 13)
A7/D             Am/D        Dm/G           G7(b5)
Mesmo  que os cantores sejam falsos  como   eu 
  G7(#9 b13)  C7M/9        E7(b9)
  G#º/B       Em/C         G#º/E
Serão       bonitas, não importa
      Am7/11      D7(9 #11)
      Am7         B/D
São bonitas as canções
Dm(7M 9)    Dm7/9       G7/4(9)
A7/D        Am/D        Dm/G
Mesmo   miseráveis os poetas
        G7/9         C7M(#5)  C7M
        G7/9/G#      E/C      Em/C
Os seus versos serão bons

F#m7/9                      B7(b9 13)
A7M/F#                      Am/B
Mesmo  porque as notas eram surdas
                         Eº(add9)  E7M/9
                         Eº(add9)  E7M/9
Quando um deus sonso e ladrão
A#m7(b5)                      D#7
Eº/A#                         C#º/D#
Fez     das tripas a primeira lira
       A7/9           G#7M
       Em6/A          Cm/G#
Que animou  todos os sons

PS: Favor não tentar analisar harmonicamente a música pela minha cifra. É apenas uma maneira mais fácil pra eu tocar e provavelmente não é a intenção do compositor, pois de fato há muita coisa estranha que provavelmente só é mais fácil pra quem toca piano (G/G# por exemplo).

É carnaval!

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

E daí?

Você está em casa? Ou saiu? Está dormindo? Ou está festando? Ou pra você isso não passa de um dia normal?

Esta foi a semana mais movimentada e mais lucrativa do Mal Vicioso graças as pesquisas por fantasias de carnaval. Dizem que há muitas críticas ao carnaval, de historiadores e outras pessoas que pensam de forma diferente da minha. Porém, infelizmente eles não se manifestaram e o carnaval, mesmo rendendo dinheiro, não rendeu boas discussões.

De qualquer maneira, já temos posts pro carnaval do ano que vem.

Pra entrar no clima, fique com a linda composição do mestre Chico Buarque, “Vai passar”:

Vai passar nessa avenida um samba popular
Cada paralelepípedo da velha cidade essa noite vai se arrepiar
Ao lembrar que aqui passaram sambas imortais
Que aqui sangraram pelos nossos pés
Que aqui sambaram nossos ancestrais
Num tempo, página infeliz da nossa história, passagem desbotada na memória
Das nossas novas gerações
Dormia a nossa pátria mãe tão distraída sem perceber que era subtraída
Em tenebrosas transações
Seus filhos erravam cegos pelo continente, levavam pedras feito penitentes
Erguendo estranhas catedrais
E um dia, afinal, tinham o direito a uma alegria fulgaz
Uma ofegante epidemia que se chamava carnaval, carnaval, carnaval…
Vai passar
Palmas pra ala dos barões famintos
O bloco dos napoleões retintos e os pigmeus do boulevard
Meu Deus, vem olhar, vem ver de perto uma cidade a cantar
A evolução da liberdade até o dia clarear
Ai que vida boa, o lelê, ai que vida boa, o lalá
O estandarte do sanatório geral vai passar