Arquivo da tag: mal vicioso

Resgate de anos de história

No início de 2005, logo antes de começar o Ensino Médio, eu escrevi meu próprio sistema de blog (tipo pra concorrer com o WordPress — só que não) e comecei a blogar no endereço tableless.tiagomadeira.net. Estava empolgado com a ideia de construir uma web semântica, com XHTML e com tableless. Foi um pouco antes do “estouro” da blogosfera que veio com o ascenso do WordPress mais pro final do mesmo ano e pelos dois anos seguintes.

Desde lá e durante todo o ensino médio, eu bloguei muito. No final de 2005, o blog se transformou num WordPress e assumiu o endereço tiagomadeira.net. Além disso, no verão de 2005 para 2006 escrevi um blog-curso de algoritmos para estudar para a Olimpíada de Informática.

Um ano depois, comecei a escrever outro blog em parceria (o Mal Vicioso, com a Carol). E em 2007, passei a participar timidamente ainda de outro (o 1001 Gatos de Schrödinger, do Ibrahim).

Em 2008, quando entrei na UFSC, fiquei um ano completamente sem blogar. Foi provavelmente o meu ano mais longe da internet, devido ao estudo sério de matemática e o treinamento intensivo para a Maratona de Programação (foi nesse ano que nossa equipe se classificou para a final mundial na Suécia).

Quando vim para São Paulo, em 2009, resolvi voltar a blogar. Porém, depois de ter ficado um ano sem dar bola pro meu blog, não me senti confortável em continuar usando ele (além de que fui tentar organizá-lo e acabei perdendo conteúdo sem querer). Aí acabei criando outro no endereço blog.tiagomadeira.com.

O conteúdo do tiagomadeira.net acabou ficando jogado às traças num leiaute terrível com mais publicidade do AdSense do que conteúdo. A mesma coisa aconteceu com o blog de algoritmos, que curiosamente continuou sendo bem visitado (valeu, Google!). E os outros dois blogs (Mal Vicioso e 1001 Gatos) simplesmente morreram.

Vinha pensando há algum tempo em fazer alguma coisa para salvar o conteúdo de todos esses blogs. Até que nesse sábado resolvi botar a mão na massa e toquei esse meu projeto egocêntrico: Escrevi um novo design e exportei/importei os posts de todos os outros blogs para este novo, relendo os posts para corrigir formatação, imagens e links quebrados.

Estou inaugurando este blog com textos dos últimos oito anos, ou seja, que registram acontecimentos interessantes de mais de 1/3 do meu tempo de vida. Encontrei uma porção de coisas legais quando resgatava os posts: angústias, ideias, planos, descobertas. Definitivamente valeu a pena não permitir que isso tudo se perdesse no buraco negro da internet.

Acabei motivado a continuar escrevendo aqui para contar o que ando pensando e para que no futuro eu continue me divertindo com meus velhos projetos. Ansioso para ver se a motivação vai vingar.

Criatividade

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Eu estou viciado nesse mal. Totalmente inspirado pra publicar nele, com dezenas de rascunhos e novas idéias no papel.

Enquanto isso, não tenho idéias pra postar aqui. Entendam meu dilema:

Minha área de conhecimento e trabalho é desenvolvimento web. Mas não queria fazer um blog sobre dicas de HTML e CSS válido, tampouco de PHP, então não vejo muito aproveitamento aqui. Postar notícias de web 2.0, outros sites, etc, etc, é algo que muita gente já faz, não vejo muita graça.

Uso Linux full-time no laptop, no gateway e no servidor (dreamhost). Tenho desenvolvido poucos scripts shell interessantes e o que tem saído é tão sujo que eu não tenho coragem de publicar. Estou muito afim de aprender Python, mas não nesse momento. Sobre filosofia e software livre dá pra escrever muita coisa, mas tem muita gente que fala sobre isso. Além disso tem portais como o BR-Linux que já falam tudo possível e imaginável antes de eu pensar e escrever sobre determinado tema.

Escrever sobre o meu novo laptop e seu dia-a-dia com Linux está me trazendo muitas visitas. O Acer Aspire 5050-3205 está muito pop! Porém, ainda não consegui testar o wireless, a webcam não tem suporte mesmo (estou aguardando o cara do gspca lançar uma nova versão) e não há nenhuma grande novidade. Só que estou adorando o Gentoo, mas não dá pra escrever um post por dia dizendo: I LOVE GENTOO!

A primeira fase da Olimpíada de Informática acontecerá dia 17 de março. Aí está um bom tema. Mas eu tenho mais de 100 scripts resolvidos aqui e já postei um monte de coisas sobre algoritmos que pouca gente procura aqui.

Aí eu fico filosofando lá no Mal Vicioso e minhas idéias só brotam praquele lado. Eu pensei até em fechar o meu site, mas eu gosto dele e tô afim de escrever, só não tenho idéias, porque não estão acontecendo muitas coisas na minha vida nerd.

Mas, se Alá quiser, amanhã aquela inspiração bate e eu publico algo bem legal!

Ahh.. E idéias são mais que bem-vindas.

Opinião pública

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Encontrei esta passagem de Goethe no estrategema 30 do excelente “A arte de ter razão”.

Dico ego, tu dicis, sed denique dixit et ille:
Dictaque post toties, nil nisi dicta vides.

Ou para os ignorantes entre nós que não lêem latim:

Eu o digo, tu o dizes, mas, ao final aquele também o diz:
Depois que o disseram tantas vezes, não se vê outra coisa a não ser o que foi dito.

Lido durante a aula de matemática…

Crash – No Limite

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Além de publicar livros com o tema parecido com o do Mal Vicioso, resolvemos publicar também sugestões de filmes. Para estrear a categoria, escreverei sobre o filme Crash – No Limite.

Crash - No Limite
  • Nome original: Crash
  • Diretor: Paul Haggis
  • Nacionalidade: Estados Unidos
  • Link para o IMDB

You think you know who you are. You have no idea.

Vencedor na categoria de melhor filme do Oscar, Crash é um filme que nos faz pensar sobre como um fato isolado pode mexer com a vida de várias pessoas. Não no estilo de “Efeito Borboleta”, mas na vida de pessoas normais de Los Angeles.

A temática é um pouco pesada, abordando de maneira muito interessante alguns assuntos como o preconceito inconsciente e a hipocrisia das pessoas. No filme várias histórias se passam ao mesmo tempo; com personagens que, a medida que os fatos acontecem, se interligam.

Sem dúvidas um dos melhores filmes que eu já assisti! Vale a pena comprar ou locar. ;-)

Gollum, gollum!

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Guantanamo
Prisão de Guantanamo

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) – O novo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, acredita que a prisão norte-americana de Guantánamo, em Cuba, deveria ser desativada, disse ele em uma coletiva de imprensa na quinta-feira.

“Como meu antecessor, eu acredito que a prisão de Guantánamo deveria ser fechada”, disse Ban à imprensa. O ex-secretário-geral Kofi Annan, que saiu do cargo dia 31 de dezembro, também havia pedido que a instalação fosse fechada.

Esta quinta-feira marca o quinto aniversário da abertura da prisão.

Os primeiros detentos foram levados de avião para um campo fortemente guardado há cinco anos, logo após o lançamento da guerra no Afeganistão liderada pelos EUA em resposta aos ataques de 11 de setembro de 2001.

Mais de 770 pessoas têm sido mantidas presas lá desde então, das quais apenas 10 foram acusadas criminalmente.

Hoje foram feitas prisões em Washington. Pessoas do mundo inteiro se manifestaram contra a prisão de Guantanamo.

É incrível o poder estado-unidense. Todos nós nos curvemos ao presidente Bush: ele é dono do mundo. Se fosse qualquer outro país a criar uma prisão onde violam-se direitos humanos e a Convenção de Genebra, desrespeitando o que a ONU pede e fazendo o que o mundo inteiro desaprova, é claro que um país de primeiro mundo o atacaria, dominaria todos os seus recursos naturais e enforcaria seu presidente. E faria isso só por uma suspeita.

O presidente Bush é criticado no mundo inteiro pela sua prisão em Cuba e enquanto isso manda mais 21500 soldados para o Iraque. Não se trata de um presidente nacionalista, trata-se de um psicopata.

Independente da opinião da ONU, das ONGs, de toda a diplomacia mundial, Bush decide o rumo do mundo. E o máximo é que os Estados Unidos têm poder de veto no Conselho de Segurança da ONU e vivem proibindo os outros países de fazer o que eles fazem! A diplomacia perde todo o seu sentido, sendo dominada pelos políticos, que são loucos maníacos pelo poder.

Esse é nosso mundo

O título refere-se à história de Tolkien, O Senhor dos Anéis, uma metáfora do mundo real onde os homens são fracos e são dominados pela vontade de dominar o outro e pela necessidade de ter poder.

Proibido para maiores

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Pai de família
A idade determina a responsabilidade de uma pessoa?

Os adultos vivem impondo limites para menores de idade. Eles são superiores e sábios porque já passaram pela mesma fase que as crianças passaram. Parece que quando você completa 18 anos, de repente você muda por completo e abandona toda uma mentalidade para começar a ser “adulto”, uma nova fase onde você é dominado por um egoísmo e uma mentalidade de pessoas que se acham inteligentes o suficiente para poderem tomar decisões sem consultar ninguém, pessoas totalmente responsáveis por si mesmas, sem dúvidas de nada.

Você faz 18 anos e, de repente, você pode fazer várias coisas que ontem (literalmente, um dia antes do seu aniversário) você não podia: dirigir, abrir conta no banco, se casar, assistir filmes censurados, ser preso, entre muitas outras coisas. Incrível como esse dia de vida muda uma pessoa!

Virar adulto, não por esses novos direitos mas por causa da nova “responsabilidade”, é um retrocesso. Na sociedade das crianças não existem essas besteiras que existem na sociedade dos adultos e a criança pensa muito mais; a criança questiona; a criança não sabe de tudo, e sabe disso. E mais sábio é aquele que nada sabe. Sócrates (que todo mundo adora idolatrar, até quem não conhece) falou disso em 400 a.C. e os adultos ainda não aprenderam a lição!

Essa é a grande contradição. Nós dizemos que seríamos sábios se não soubéssemos de nada, mas vivemos afirmando achando que assim somos inteligentes e usando sermões prontos. Mas se acreditamos nessas coisas que falamos como por exemplo a maiêutica, é muito mais pura a criança e ela deveria ter o mesmo direito do adulto, porque assim ela poderia se criar independente do resto da sociedade, sem viver nessa hipocrisia em que todos nós vivemos.

Eu creio que a idade é uma instituição absurda. Não sei ao certo quando começaram a determinar quem você é pela sua idade, mas é tão nonsense como não deixar as mulheres terem voz na democracia ateniense. É uma forma de preconceito, e algo que rege toda a nossa vida, como se o nosso conhecimento ou a nossa mentalidade não fizessem a mínima diferença, nós devemos viver de acordo com quantos anos nós já vivemos.

O Mal Vicioso não tem distinção de idade, porque nós não gostamos de xiitas. Nós gostamos de perguntas e nós gostamos de pensar. Nós adoramos comentários e queremos fazer uma rede de discussão onde todo mundo pode falar abertamente sobre temas polêmicos como religião, sexo, drogas e a nossa sociedade; independente de sua idade e sem nenhuma idéia imutável na cabeça, sem essa responsabilidade chata de adulto de não poder errar. Eu, assim como meu colega da Terra do Nunca, vou ser criança pra sempre. Você também pode ser, mas precisa abandonar essas idéias formadas de adulto.

Se não abandonar, você há de viver eternamente sendo escravo dessa gente que cultiva a hipocrisia.

Pai, por que me abandonaste?

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Nosso Deus parece o Godot dos judeus. Ele é justo, mas é mau. Olha a busca que eu achei nas estatísticas do Mal Vicioso: tiago vagabundo. Primeiro resultado! E o pior é que a gente ainda tem que agradecer, porque pega um paraquedista, que é o tipinho que mais clica nos nossos anúncios…

Tag: Objetivos para 2007

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

O reverendo e o Felipe me convidaram pra participar da tag que está rolando por aí sobre os objetivos pra 2007. O Ibrahim disse que precisam ser cinco objetivos que podem se concretizar, então não vão ser tão interessantes como poderiam. Eu já postei “objetivos” como previsões para 2007, mas vão aqui de novo pra participar da brincadeira… e agora já estão atualizados.

Objetivo #1 – Blogs

Ganhar 50 dólares por mês com Adsense e 15 reais por mês com o Buscapé. É um objetivo bem “pé-no-chão”, que eu pretendo que aconteça desde janeiro. Em dezembro eu quero estar ganhando no mínimo 200 dólares por mês com o Adsense e 60 reais por mês com o Buscapé.

Objetivo #2 – Competições

Participar da Olimpíada Internacional de Informática na Croácia. Eu já tento há três anos e já cheguei perto de conseguir participar de uma olimpíada internacional em 2005. Creio que esse ano seja um bom momento para eu chegar lá, só preciso estudar mais.

Participar do Desafio Nacional Acadêmico e realizar o desafio com um desempenho melhor do que o do ano passado.

Objetivo #3 – Vestibular

Passar no vestibular na UNICAMP.

Objetivo #4 – Mal Vicioso

Fazer o Mal Vicioso deixar de ser um monólogo, ele deve se tornar um local de discussões. Todo comentário é um complemento importante ao post! Será que convém mudar o seu tema? Não sei, mas acho que ele deve ter mais interação.

Objetivo #5 – Todos os meus convidados devem aceitar a tag

Meu quinto objetivo é os convidados aceitarem a tag e publicarem seus cinco objetivos. E os convidados são…

(em ordem alfabética, não de importância ou algo do gênero)

  • Bruno Torres, um cara que leio há muito tempo. Escreve muito bem e fala de programação, desenvolvimento web e Linux.
  • Carol Peters. Além de a única mulher na minha lista, é uma filósofa, uma pessoa perfeita, cheia de idéias e pensamentos que visam melhorar o nosso mundo. A representação do divino na Terra. Tenho elogios pra mais de um post inteiro.
  • César Kawakami, excelente matemático e programador. Conheci ele nos cursos da OBI. Manja muito dessas ciências exatas e acabei de ver que ele passou no ITA. Parabéns!
  • Elcio Ferreira. Eu comecei a ler o fecha-TAG em 2005 pelo Tableless. Hoje é um dos meus blogs preferidos. O Elcio, além de falar sobre desenvolvimento web, fala bastante sobre as vantagens do Linux.
  • Vinicius Silva. Eu não sou muito de jogar, mas adoro ler sobre as novidades na tecnologia dos video-games. Eu sempre penso: “tenho que comprar um desses!”, mas nunca tenho tempo (tempo é dinheiro) pra isso. De qualquer maneira, o Oito Bits é um excelente site sobre jogos que eu gosto muito de ler e acho que ainda não estava participando da tag.

Vai trabalhar, vagabundo!

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

“Do suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás.” (Gênesis, 3:19)

Quando você pensa no futuro, o que vem à sua mente? A não ser que você tenha sido criado em outro planeta ou em outros tempos, a sua resposta é: trabalho. É com trabalho que conseguimos dinheiro, pra poder descansar. É uma lógica tão estúpida que não sei como ainda funciona.

Vai trabalhar, vagabundo
Vai trabalhar, criatura
Deus permite a todo mundo
Uma loucura
Passa o domingo em familia
Segunda-feira beleza
Embarca com alegria
Na correnteza

Prepara o teu documento
Carimba o teu coração
Não perde nem um momento
Perde a razão
Pode esquecer a mulata
Pode esquecer o bilhar
Pode apertar a gravata
Vai te enforcar
Vai te entregar
Vai te estragar
Vai trabalhar

Vê se não dorme no ponto
Reúne as economias
Perde os três contos no conto
Da loteria
Passa o domingo no mangue
Segunda-feira vazia
Ganha no banco de sangue
Pra mais um dia

Cuidado com o viaduto
Cuidado com o avião
Não perde mais um minuto
Perde a questão
Tenta pensar no futuro
No escuro tenta pensar
Vai renovar teu seguro
Vai caducar
Vai te entregar
Vai te estragar
Vai trabalhar

Passa o domingo sozinho
Segunda-feira a desgraça
Sem pai nem mãe, sem vizinho
Em plena praça
Vai terminar moribundo
Com um pouco de paciência
No fim da fila do fundo
Da previdência
Parte tranquilo, ó irmão
Descansa na paz de Deus
Deixaste casa e pensão
Só para os teus
A criançada chorando
Tua mulher vai suar
Pra botar outro malandro
No teu lugar
Vai te entregar
Vai te estragar
Vai te enforcar
Vai caducar
Vai trabalhar

(Chico Buarque)

O trabalho do “proletário” como existe hoje surgiu com a Revolução Industrial, no século XVIII. É engraçado que, quando estudamos esse período na escola, todos adoram criticá-lo; parece que faz parte de uma realidade distante e que hoje ninguém é proletário. Ninguém pensa no hoje e na nossa situação, porque todos estão conformados.

Antes do proletariado surgir, existiam outras formas de trabalho, como os artesãos e os escravos. Os artesãos trabalhavam por eles mesmo, não para burgueses. Os escravos trabalhavam para um senhor, mas esse site explica bem a diferença entre o proletário e o escravo:

Como se diferencia o proletário do escravo?

O escravo está vendido de uma vez para sempre; o proletário tem de se vender a si próprio diariamente e hora a hora. O indivíduo escravo, propriedade de um senhor, tem uma existência assegurada, por muito miserável que seja, em virtude do interesse do senhor; o indivíduo proletário – propriedade, por assim dizer, de toda a classe burguesa -, a quem o trabalho só é comprado quando alguém dele precisa, não tem a existência assegurada.

O trabalho não é uma necessidade. Quem não trabalha não é vagabundo. A própria palavra “trabalho” vem de “tripalium” e lembra tortura, sofrimento. A nossa mentalidade é baseada em uma série de conceitos que foram se formando ao longo do tempo e que pouca gente pára pra pensar se estão certos.

Qual é a solução? Um comunismo? Não sei, acho que não, mas também não tenho a resposta. Cada um pode decidir por si só, mas acho que do jeito que tá não é legal. Passamos a vida “escravos” de um sistema por dinheiro. Pensem bem: isso não faz sentido! Tem coisas muito melhores pra se fazer e pra se ter na vida. Às vezes parecemos retroceder em vez de evoluir. No fim, o que é importante?

Ninguém jamais deveria trabalhar. O trabalho é a fonte de quase todos os sofrimentos no mundo. Praticamente qualquer mal que se possa mencionar vem do trabalho ou de se viver num mundo projetado para o trabalho. Para parar de sofrer, precisamos parar de trabalhar.

(Hakim Bay)

Como se adquire criatividade?

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Incrível. Meus sites sempre têm um design igual, dependendo da fase em que são feitos. Hoje eu estou fazendo um novo design pra este blog que você está lendo, algo importantíssimo agora que eu voltei a postar, porque eu não agüento mais olhar pra esse lixo.

O meu design está ficando novamente com a cara do Business Style, um design que o latviano Gunta Klavina fez pro CSS Zen Garden e que eu já estou usando em outro site que vou lançar nesse mês. Mas o pior é que não estou só fazendo estes dois iguais… Notem que o Mal Vicioso também usa a mesma idéia de ter um título e depois um desenho embaixo!

Ou seja, se eu não me desesperar daqui a pouco e deletar tudo, neste mês vocês vão ver três designs novos meus com a mesma idéia, só mudam as cores. Agora vem a minha dúvida: como os designers fazem para serem criativos? Como eles conseguem sempre ter uma idéia nova?

Se você quer que eu faça designs diferentes dos designs de Gunta Klavina e deixe a web muito mais divertida, responda nos comentários! Estou louco pra aprender esse truque! :-)