Arquivo da tag: hipocrisia

Crash – No Limite

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Além de publicar livros com o tema parecido com o do Mal Vicioso, resolvemos publicar também sugestões de filmes. Para estrear a categoria, escreverei sobre o filme Crash – No Limite.

Crash - No Limite
  • Nome original: Crash
  • Diretor: Paul Haggis
  • Nacionalidade: Estados Unidos
  • Link para o IMDB

You think you know who you are. You have no idea.

Vencedor na categoria de melhor filme do Oscar, Crash é um filme que nos faz pensar sobre como um fato isolado pode mexer com a vida de várias pessoas. Não no estilo de “Efeito Borboleta”, mas na vida de pessoas normais de Los Angeles.

A temática é um pouco pesada, abordando de maneira muito interessante alguns assuntos como o preconceito inconsciente e a hipocrisia das pessoas. No filme várias histórias se passam ao mesmo tempo; com personagens que, a medida que os fatos acontecem, se interligam.

Sem dúvidas um dos melhores filmes que eu já assisti! Vale a pena comprar ou locar. ;-)

ET’s em fantasia de carnaval?

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

ET
O que estamos fazendo aqui?

Engraçado. Tudo é muito engraçado. Creio que todos os seres viventes neste mundo de aflições deveriam ter aulas de sociologia, antropologia e psicologia intrumentais. Tudo isso, sim, tudo isso. E por quê? porque as pessoas estão perdendo a noção de senso comum, de gentileza, de dor, de tudo isso que afeta o outro.

Definitivamente não é uma lamentação, isto aqui. É um testemunho indignado com o comportamento social… E não digo isto de levantar pra velho sentar não. Digo das pessoas serem sensíveis ao próximo.

E nossa, como isso me irrita. Como me irrita a falta de tato. A brincadeira fora de hora. O egoísmo lato. A punhalada nas costas. O descaso. O descanso. Me irrita o sorriso falso, a gargalhada forçada, a “forçada” de barra, o comentário rasgado, a mentira desgraçada, a inconveniência desavergonhada.

Me entristece tanta falta de profundidade nas relações. E não por simplesmente termos de nos preocupar uns com os outros, mas porque desta forma nem nós nos conheceremos a fundo. E quanto mais eu vivo, mais tenho a sensação de que não sei quem sou. E não num sentido rebelde sem causa. Mas na falta de identidade. Na falta de algo que me assemelhe a alguém. E quando há um sentimento de coletividade, quando há a preocupação em enxergar o outro como semelhante aí sim sabemos quem somos. Com certeza antropologia iria ajudar…

Mas afinal, ainda tenho esperanças… Na pior das hipóteses, somos todos ETs em fantasias de carnaval.

Procurando sobre o carnaval no Technorati, conheci um blog novo muito bom: Sweet Vice. Este texto é o segundo post de um grupo de meninas, que pelas idéias me lembram a Carol. ;-)

Ela tem toda razão. As pessoas sempre estão competindo entre si e mentindo para levar vantagem, não estão nem aí se estão prejudicando o outro desde que seja para uma boa causa individual. Nosso mundo é egoísta e nós somos hipócritas.

Almas à venda

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

RAFAEL VC É UM IDIOTA AO QUADRADO MANIPULADO PELO CAPETA.A JUSTIÇA DOS HOMENS É FALHA A DEUS NUNCA FALHA E VC GUSTAVO NÃO PASSA DE UM IDIOTA QUE PELO JEITO VIVE GASTANDO O SEU DINHEIRO COM COISAS QUE NÃO ACRESCENTAM NADA NA SUA VIDA.
SOU RENASCER ATÉ MORRER !!! ESPADA PELO SENHOR PELO APÓSTOLO PELA BISPA E PELA RENASCER!!!
AMO ESSE MINISTÉRIO E ENTREGO AMINHA OFERTA SEMPRE QUE POSSO NA IGREJA , INDEPENDENTE DO QUE OS ENVIADOS DE SATANÁS COMO FALAM DA RENASCER.
SOU RENASCER ATÉ MORRER !!!

(comentários de um homem de Deus no Novo Mundo)

Fé e religião

Ao ler estes discursos do “Irmão Henrique”, me perguntei: a partir de quando a religião deixa de ser uma coisa que motiva a viver para tornar-se apenas alienação? Eu não acredito na religião da mesma forma que não acredito na política – pra mim as duas são farinha do mesmo saco. Tenho um ódio especial por essas novas religiões que surgem todos os dias apenas para atrair fiéis e roubar seu dinheiro.

Na minha cidade, um desses homens de Deus é comprovadamente comprador de votos; o criador dessa tal “Renascer” foi preso junto com a sua esposa. Qual o sentido de toda essa lavagem cerebral e como os homens são tão fracos para serem levados por ela?

Aqui em Santa Catarina, tem se popularizado uma igreja hilária chamada Bola de Neve. As reuniões dos “fiéis” (surfistas) acontece em casinhas com pranchas de surf e uma decoração que parece de surfshop. A Wikipedia diz que: Muitas pessoas que freqüentam dizem que assistir o culto é como assistir a um show. Há a inclusão no louvor de vários ritmos musicais, tais como reggae, entre outros.

Pergunto-me: as pessoas vão lá pra rezar ou pra fazer festa?

Não que a idéia de uma religião divertida seja ruim. Eu sou fã do discordianismo! Mas se for pra acreditar numa religião que é uma piada, então pelo menos leve ela na brincadeira!

Estou sem um link de um vídeo de um pastor muito bom que queria colocar aqui. Foi a Carol que me mostrou, quando ela voltar de viagem ela edita esse post pra colocar.

Essas novas igrejas de fanáticos têm atraído ex-usuários de drogas, que em busca de uma vida nova conseguem deixar de usar drogas “por Deus”. É absurdo e irônico. É a troca de um vício por outro. E depois que as pessoas que passaram a vida usando drogas vêm falar com você dando sermões de que você vai pro inferno? Ah, me dêem licença!

No ano retrasado, eu estudava com um protestante que vivia discutindo comigo. Eu é que puxava as discussões, mas é porque queria entender a mentalidade dele. Ele me disse que eu vou pro inferno, porque eu não acredito em Deus. Se eu acreditasse, eu poderia matar quem eu quisesse, cometer o pecado que quisesse, mas iria pro céu. Ele me disse: “Se Deus não existir, e daí? Mas se Deus existir, eu tenho um lugar no céu e você não. Por isso, você devia pensar bem nessa sua decisão.”

Será que todo religioso é assim? Notem que interessante: o cara não acredita em Deus, mas ele morre de medo de não ter um lugar no paraíso (eu acho esse lance de vida eterna muito monótono…) e por isso vive dando sermões e falando de Deus!

Ah!!! E isso tudo sem falar do pastor louco que disse que os blogs são pagãos!

Sei lá… Não vejo nenhum sentido em tudo isso. Hipocrisia de uma sociedade inteira! Faço questão de linkar de novo o primeiro post da Cabala. Pra mim, esse lance de religião trata-se de pessoas inteligentes se aproveitando de pessoas fracas pra ganhar dinheiro. A maioria de quem se diz religioso é laico. E o resto eu respeito, mas não vejo sentido.

Dá pra fazer uma série sobre religião, falando sobre a grana da Igreja Católica, a Inquisição, o preconceito dentro da religião, o conservadorismo que vai contra a própria fé deles, aqueles fanáticos que criticam uma ficção por ela ser muito bem escrita e eles acabarem ficando em dúvida da sua crença, a briga das religiões em Jerusalém, as religiões orientais… Religião só trouxe problema para o mundo ao invés de solução. Aliás, o reverendo já tá fazendo algo assim lá na Cabala.

Eu posso me contradizer se você me der um bom motivo pra acreditar em outra coisa, mas pra mim essas religiões tratam-se de filosofia for dummies. Relaxem religiosos, curtam a vida e sejam felizes!

Pra finalizar, vai de bônus uma animação sobre a história das religiões que vi lá no Sedentário e Hiperativo:

Gollum, gollum!

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Guantanamo
Prisão de Guantanamo

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) – O novo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, acredita que a prisão norte-americana de Guantánamo, em Cuba, deveria ser desativada, disse ele em uma coletiva de imprensa na quinta-feira.

“Como meu antecessor, eu acredito que a prisão de Guantánamo deveria ser fechada”, disse Ban à imprensa. O ex-secretário-geral Kofi Annan, que saiu do cargo dia 31 de dezembro, também havia pedido que a instalação fosse fechada.

Esta quinta-feira marca o quinto aniversário da abertura da prisão.

Os primeiros detentos foram levados de avião para um campo fortemente guardado há cinco anos, logo após o lançamento da guerra no Afeganistão liderada pelos EUA em resposta aos ataques de 11 de setembro de 2001.

Mais de 770 pessoas têm sido mantidas presas lá desde então, das quais apenas 10 foram acusadas criminalmente.

Hoje foram feitas prisões em Washington. Pessoas do mundo inteiro se manifestaram contra a prisão de Guantanamo.

É incrível o poder estado-unidense. Todos nós nos curvemos ao presidente Bush: ele é dono do mundo. Se fosse qualquer outro país a criar uma prisão onde violam-se direitos humanos e a Convenção de Genebra, desrespeitando o que a ONU pede e fazendo o que o mundo inteiro desaprova, é claro que um país de primeiro mundo o atacaria, dominaria todos os seus recursos naturais e enforcaria seu presidente. E faria isso só por uma suspeita.

O presidente Bush é criticado no mundo inteiro pela sua prisão em Cuba e enquanto isso manda mais 21500 soldados para o Iraque. Não se trata de um presidente nacionalista, trata-se de um psicopata.

Independente da opinião da ONU, das ONGs, de toda a diplomacia mundial, Bush decide o rumo do mundo. E o máximo é que os Estados Unidos têm poder de veto no Conselho de Segurança da ONU e vivem proibindo os outros países de fazer o que eles fazem! A diplomacia perde todo o seu sentido, sendo dominada pelos políticos, que são loucos maníacos pelo poder.

Esse é nosso mundo

O título refere-se à história de Tolkien, O Senhor dos Anéis, uma metáfora do mundo real onde os homens são fracos e são dominados pela vontade de dominar o outro e pela necessidade de ter poder.

Proibido para maiores

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Pai de família
A idade determina a responsabilidade de uma pessoa?

Os adultos vivem impondo limites para menores de idade. Eles são superiores e sábios porque já passaram pela mesma fase que as crianças passaram. Parece que quando você completa 18 anos, de repente você muda por completo e abandona toda uma mentalidade para começar a ser “adulto”, uma nova fase onde você é dominado por um egoísmo e uma mentalidade de pessoas que se acham inteligentes o suficiente para poderem tomar decisões sem consultar ninguém, pessoas totalmente responsáveis por si mesmas, sem dúvidas de nada.

Você faz 18 anos e, de repente, você pode fazer várias coisas que ontem (literalmente, um dia antes do seu aniversário) você não podia: dirigir, abrir conta no banco, se casar, assistir filmes censurados, ser preso, entre muitas outras coisas. Incrível como esse dia de vida muda uma pessoa!

Virar adulto, não por esses novos direitos mas por causa da nova “responsabilidade”, é um retrocesso. Na sociedade das crianças não existem essas besteiras que existem na sociedade dos adultos e a criança pensa muito mais; a criança questiona; a criança não sabe de tudo, e sabe disso. E mais sábio é aquele que nada sabe. Sócrates (que todo mundo adora idolatrar, até quem não conhece) falou disso em 400 a.C. e os adultos ainda não aprenderam a lição!

Essa é a grande contradição. Nós dizemos que seríamos sábios se não soubéssemos de nada, mas vivemos afirmando achando que assim somos inteligentes e usando sermões prontos. Mas se acreditamos nessas coisas que falamos como por exemplo a maiêutica, é muito mais pura a criança e ela deveria ter o mesmo direito do adulto, porque assim ela poderia se criar independente do resto da sociedade, sem viver nessa hipocrisia em que todos nós vivemos.

Eu creio que a idade é uma instituição absurda. Não sei ao certo quando começaram a determinar quem você é pela sua idade, mas é tão nonsense como não deixar as mulheres terem voz na democracia ateniense. É uma forma de preconceito, e algo que rege toda a nossa vida, como se o nosso conhecimento ou a nossa mentalidade não fizessem a mínima diferença, nós devemos viver de acordo com quantos anos nós já vivemos.

O Mal Vicioso não tem distinção de idade, porque nós não gostamos de xiitas. Nós gostamos de perguntas e nós gostamos de pensar. Nós adoramos comentários e queremos fazer uma rede de discussão onde todo mundo pode falar abertamente sobre temas polêmicos como religião, sexo, drogas e a nossa sociedade; independente de sua idade e sem nenhuma idéia imutável na cabeça, sem essa responsabilidade chata de adulto de não poder errar. Eu, assim como meu colega da Terra do Nunca, vou ser criança pra sempre. Você também pode ser, mas precisa abandonar essas idéias formadas de adulto.

Se não abandonar, você há de viver eternamente sendo escravo dessa gente que cultiva a hipocrisia.

Vai trabalhar, vagabundo!

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

“Do suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás.” (Gênesis, 3:19)

Quando você pensa no futuro, o que vem à sua mente? A não ser que você tenha sido criado em outro planeta ou em outros tempos, a sua resposta é: trabalho. É com trabalho que conseguimos dinheiro, pra poder descansar. É uma lógica tão estúpida que não sei como ainda funciona.

Vai trabalhar, vagabundo
Vai trabalhar, criatura
Deus permite a todo mundo
Uma loucura
Passa o domingo em familia
Segunda-feira beleza
Embarca com alegria
Na correnteza

Prepara o teu documento
Carimba o teu coração
Não perde nem um momento
Perde a razão
Pode esquecer a mulata
Pode esquecer o bilhar
Pode apertar a gravata
Vai te enforcar
Vai te entregar
Vai te estragar
Vai trabalhar

Vê se não dorme no ponto
Reúne as economias
Perde os três contos no conto
Da loteria
Passa o domingo no mangue
Segunda-feira vazia
Ganha no banco de sangue
Pra mais um dia

Cuidado com o viaduto
Cuidado com o avião
Não perde mais um minuto
Perde a questão
Tenta pensar no futuro
No escuro tenta pensar
Vai renovar teu seguro
Vai caducar
Vai te entregar
Vai te estragar
Vai trabalhar

Passa o domingo sozinho
Segunda-feira a desgraça
Sem pai nem mãe, sem vizinho
Em plena praça
Vai terminar moribundo
Com um pouco de paciência
No fim da fila do fundo
Da previdência
Parte tranquilo, ó irmão
Descansa na paz de Deus
Deixaste casa e pensão
Só para os teus
A criançada chorando
Tua mulher vai suar
Pra botar outro malandro
No teu lugar
Vai te entregar
Vai te estragar
Vai te enforcar
Vai caducar
Vai trabalhar

(Chico Buarque)

O trabalho do “proletário” como existe hoje surgiu com a Revolução Industrial, no século XVIII. É engraçado que, quando estudamos esse período na escola, todos adoram criticá-lo; parece que faz parte de uma realidade distante e que hoje ninguém é proletário. Ninguém pensa no hoje e na nossa situação, porque todos estão conformados.

Antes do proletariado surgir, existiam outras formas de trabalho, como os artesãos e os escravos. Os artesãos trabalhavam por eles mesmo, não para burgueses. Os escravos trabalhavam para um senhor, mas esse site explica bem a diferença entre o proletário e o escravo:

Como se diferencia o proletário do escravo?

O escravo está vendido de uma vez para sempre; o proletário tem de se vender a si próprio diariamente e hora a hora. O indivíduo escravo, propriedade de um senhor, tem uma existência assegurada, por muito miserável que seja, em virtude do interesse do senhor; o indivíduo proletário – propriedade, por assim dizer, de toda a classe burguesa -, a quem o trabalho só é comprado quando alguém dele precisa, não tem a existência assegurada.

O trabalho não é uma necessidade. Quem não trabalha não é vagabundo. A própria palavra “trabalho” vem de “tripalium” e lembra tortura, sofrimento. A nossa mentalidade é baseada em uma série de conceitos que foram se formando ao longo do tempo e que pouca gente pára pra pensar se estão certos.

Qual é a solução? Um comunismo? Não sei, acho que não, mas também não tenho a resposta. Cada um pode decidir por si só, mas acho que do jeito que tá não é legal. Passamos a vida “escravos” de um sistema por dinheiro. Pensem bem: isso não faz sentido! Tem coisas muito melhores pra se fazer e pra se ter na vida. Às vezes parecemos retroceder em vez de evoluir. No fim, o que é importante?

Ninguém jamais deveria trabalhar. O trabalho é a fonte de quase todos os sofrimentos no mundo. Praticamente qualquer mal que se possa mencionar vem do trabalho ou de se viver num mundo projetado para o trabalho. Para parar de sofrer, precisamos parar de trabalhar.

(Hakim Bay)

John Chow é O Cara!

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

John Chow é um blogueiro que está ganhando bem, talvez o suficiente pra viver de um blog. Ele conta em seu blog que ganhou US$ 355 em setembro, US$ 1362 em outubro e US$ 2140 em novembro. Mas John é um sujeito caridoso e ele escreveu que nunca foi sua intenção fazer dinheiro com o blog:

I have decided to donate the income from the blog to my church and other charities. John Chow dot Com is my personal blog and making a profit from it just seems strange to me. Please note, I am not downing anyone who makes money off his or her personal blog – I think that is great.

Então, ele doou US$ 2000 para instituições de caridade e igrejas, para ajudar as pessoas e promover o natal de centenas de pobres.

Assim como o Rafael, não sei o que dizer. Achei que não existissem pessoas assim no mundo. A minha hipocrisia não me permitiria fazer isso com o meu dinheiro.

A atitude de John Chow foi bonita, digna de um louco! :-) Se todos fossem iguais a ele, nosso mundo seria melhor. Ou não? Disse o Rafael na resposta de um comentário que eu coloquei no site dele:

Trabalhamos e temos uma recompensa que é o dinheiro com a qual conseguimos as coisas.

É uma lógica totalmente capitalista e é corretíssima dentro do nosso sistema. Mas será que é certa? Será que podemos/devemos ser diferentes de todo o resto da sociedade?