Arquivo da tag: flash

Destaques do 1º dia do 12º Fórum Internacional do Software Livre

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 6 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Seguem alguns registros aleatórios do que vi no primeiro dia (29/06) deste FISL em Porto Alegre.

Software livre

“Debater software livre não é discutir trocar Windows pra Linux. Isso é o de menos. Debater, e mais importante, militar pelo software livre, é criar redes para transformar o mundo.”

(Wilkens Lenon)

“A liberdade de software não é útil só pra quem escreve o programa, mas para todos, da mesma forma que a liberdade de imprensa não é útil só pra quem escreve, mas pra todos, porque você pode escolher o que escutar (ou o que usar).”

(Alexandre Oliva)

Cloud computing

“Onde há nuvem há tempestade. Computação em nuvem é pior do que computação privativa porque você não tem nenhuma das quatro liberdades. Mais que isso: além de não ter acesso ao programa, você não tem acesso aos seus dados.”

(Alexandre Oliva)

“Software livre rodando na nuvem é tão maléfico quanto software proprietário rodando na nuvem.”

(Rodrigo R. Silva)

Sobre Flash

“O Gnash é uma máquina virtual. O Gnash não é solução, nem que funcione. A solução é não precisar rodar uma aplicação alienígena no seu computador para assistir um vídeo.”

(Felipe Sanches)

Formatos fechados

“Delimitam, controlam, bloqueiam, aprisionam e criam dependência. Documentos não são como blocos de papel: daqui a 10 anos eu consigo ler o que está escrito num papel, mas dependo de uma empresa pra conseguir ler um formato fechado.”

(Sérgio Amadeu)

Além das citações

  1. Numa mesa sobre educação e inclusão digital, Sady Jacques mencionou que seria interessante ter fundamentos de ciência da computação nas escolas. É algo que eu acho muito importante e, entre o pessoal de OBI/Maratona, discutimos com frequência. Surgiu a ideia de lançar um abaixo-assinado.
  2. No Encontro de Hackers GNU+Linux-libre, foi discutida a importância de termos firmwares livres. Recomendou-se enviar e-mails para as empresas cobrando o código dos firmwares.
  3. Na audiência pública com Tarso Genro, Alexandre Oliva citou por minutos problemas que governos e pessoas tiveram confiando em software proprietário. São bons exemplos para habituais discussões. Não lembro de todos, mas aqui vão alguns: a guerra entre Argentina e Inglaterra em que os mísseis (comprados da França) não funcionavam contra navios ingleses; a Microsoft ter usado criptografia com apenas 40 bits nos computadores dos usuários durante anos, permitindo que o governo americano descriptografasse o que os usuários de Windows faziam; recentemente espionando conversas no Skype; o Gmail ter um backdoor para o governo dos EUA (que China usou para invadir recentemente); a Sony processando pessoas que descobriram como usar um computador para instalar o que quisessem nele (o Playstation 3); a Nintendo destruindo videogames a distância; a Amazon deletando e-books do Kindle a distância (ironicamente, o livro 1984); o iPhone e o Android anotando todos os lugares por onde o usuário passa junto com informações sobre redes sem fio e mandando para a Apple / o Google; o celular distribuído para crianças com câmera acionada pela sua escola.
  4. Na mesma audiência, Sérgio Amadeu falou da importância que tem os governos abrirem seus bancos de dados e todas as informações que têm em formato aberto e em redes P2P, sugerindo uma democracia radical em que todos os usuários da internet possam baixar rápido e processar as informações (data mining), de forma que grupos organizados (e desorganizados) possam controlar gastos e decisões públicas. Ideia interessante. Outras ideias interessantes da mesma fala, para pensar mais a respeito: analogia entre rede elétrica e a internet (alguém controla se você liga um liquidificador ou um chuveiro?); recursos educacionais abertos (professores remixam o material que usam); biotecnologia de garagem (nunca escrevi ou pesquisei muito sobre o tema, que é uma aplicação legal da cultura hacker fora do computador).

Flash 9 no Firefox a 64 bits

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Para rodar o plug-in do Flash num Gentoo a 64 bits, baixe o plug-in para 32 bits na página da Adobe. Descompacte o .tar.gz e na pasta onde você descompactou, escreva:

# echo net-www/nspluginwrapper ~arch >> /etc/portage/package.keywords

… para desbloquear o “nspluginwrapper” do seu sistema, esse é o programa que vai transformar a lib de 32bits em uma lib de 64.

Então instale o nspluginwrapper:

# emerge nspluginwrapper

E agora é só instalar o plugin usando o nspluginwrapper:

# nspluginwrapper --install libflashplayer.so

Reinicie o Firefox e se divirta!

Se sua distribuição não for Gentoo, é só instalar o nspluginwrapper de outra maneira como installpkg, apt-get ou coisas do tipo. ;)

A dica foi do Renato e foi obtida no Gentoo Wiki, que é muito útil; realmente uma grande vantagem de quem usa Gentoo.

Dor de cabeça

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Anteontem formatei o laptop e instalei o slamd64. Por ordem de prioridade, lá vão os problemas…

Problema 1: placa ATI Radeon Xpress 1100. O “ati” do Xorg não suporta. Eu não consigo instalar os drivers proprietários. Baixei lá do site da ATI e rodei normalmente o arquivo e ele não abre o instalador gráfico que deveria abrir:

root@laptop:~# ./ati-driver-installer-8.32.5-x86.x86_64.run 
Creating directory fglrx-install
Verifying archive integrity... All good.
Uncompressing ATI Proprietary Linux Driver-8.32.5........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................
==================================================
 ATI Technologies Linux Driver Installer/Packager 
==================================================
Detected configuration:
Architecture: x86_64 (64-bit)
X Server: X.Org 6.9.x 64-bit
Removing temporary directory: fglrx-install
root@laptop:~#

(e, sim, não estou em root por su, o que poderia fazer eu não ter um DISPLAY, mas entrei no X como root mesmo)

Essa série 1100 parece ser nova porque há pouca informação sobre ela na internet. Alguém sabe ajudar?

Sem configurar a placa, não consegui usar 1280×800, aí tudo está “gordo” e desfigurado, porque estou usando 1024×768 num monitor widescreen (driver vesa).

Problema 2: 64 bits. Firefox com Flash, codecs proprietários do mplayer, Java. Achei que fosse mais fácil… O hlegius fez um comentário bem pessimista lá no outro post… E ele tem razão. Estou com o live-cd do Gentoo amd64 baixado esperando um CD virgem pra gravar (devo comprar hoje a tarde), todo mundo fala bem do Gentoo pra 64bits. Ainda tô baixando também o Ubuntu pra 64bits pra ver como é que é…

Eu não sei como se faz pra emular um subsistema de 32bits pra rodar Flash por exemplo. Depois também vou precisar de ajuda… mas a prioridade agora é o monitor mesmo.

Problema 3: Resto do hardware. Gravador de DVD, webcam, wireless. Nunca useu nenhum dos três. Vai ser uma experiência nova super divertida, com mais dor de cabeça ainda.

Problema 4: Teclado. Depois tenho que dar uma olhada no Xmodmap (acho que é isso que eu tenho que usar) pra fazer o ponto de interrogação (Altgr+W) funcionar.

Problema 5: O som hdaudio funciona, mas dá um monte de erro quando o udev detecta e inicia o alsa. Depois tenho que verificar…

Conclusão: Pelo visto esse mês (no mínimo) vai ser só dor de cabeça. Mas o aprendizado com certeza vai ser grande. ;) Quem já tiver passado por esses problemas e quiser me ajudar nessa aventura será muito bem recompensado (por Deus ou algum cara assim que você acreditar, porque meu dinheiro acabou na compra desse laptop… hehehe).

Férias!

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Hoje foi minha última aula desse ano e abertura da OLIS (olimpíada do meu colégio). Começaram extra-oficialmente as férias. Finalmente vou ter um tempinho pra poder estudar informática, matemática e música; aproveitar a praia, viajar, ler… Demorou, hein?

Como toda pessoa organizada (categoria que eu não me enquadro, mas estou tentando), fiz meu “plano” para aproveitar bem essas férias e também para decidir o que eu vou querer no ano que vem. Aqui embaixo está publicado, e sujeito a mudanças (porque meus objetivos sempre podem mudar). Notem também que eu coloquei algumas coisas como “ganhar olimpíada” que seriam conseqüência das outras ações. Além disso, eu coloquei alguns objetivos que podem parecer “sonhos”, mas acho que sempre é bom traçar objetivos difíceis pra tentar ir o mais longe possível.

Informática

Acho que foi a área em que eu menos evoluí nesse ano. É que é incrível que quanto mais eu aprendo, mais percebo que ainda tenho cada vez mais coisa a aprender. Isso não faz sentido matematicamente falando… A informática é desafiante e a gente sempre tem a impressão de que somos ignorantes. É como o Zeh falou num post em seu blog: “O mais legal de ser programador é olhar pra certas coisas que você fez no passado, que achava uma grande idéia, e perceber que aquilo era algo extremamente fedorento.”

Mas vamos lá…

  • Dominar os algoritmos mais básicos de grafos, programação dinâmica e geometria (saber implementá-los sem consulta em C).
  • Obter medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Informática.
  • Participar da Olimpíada Internacional de Informática.
  • Dominar o básico da linguagem C (saber gerenciar memória, usar bibliotecas como ncurses, usar sockets, etc.)
  • Aprender de vez a programar em C/GTK, para criar interfaces gráficas.
  • Dominar conceitos da orientação a objetos (abstração, encapsulamento, herança, poliformismo) e saber implementá-los em Java, C++ e PHP 4 e 5.
  • Aprender um JavaScript mais avançado (saber criar aqueles marquees por exemplo, ou como o cara pode arrastar um div pela tela) e exercitar essas linguagens client-side e Ajax dentro dos padrões web.
  • Saber diferenciar Unix/Linux/FreeBSD/OpenSolaris. Instalar estes outros sistemas no meu laptop.
  • Exorcizar o laptop. Não usar mais nem Flash, abolir o Windows.
  • Converter o laboratório de informática do Colégio Salesiano pra Linux (Edubuntu, que eu conheci essa semana e achei muito massa!).
  • Programar com frameworks.
  • Aprender Awk.
  • Aprender alguma coisa de hardware e de baixo nível (Assembler).

Matemática

Nesse ano, fui mal nas duas olimpíadas (brasileira e catarinense) e mesmo ganhando medalha de bronze na Olimpíada de Maio, não fiquei muito contente. De qualquer maneira, sinto que estou evoluindo na matemática graças as aulas do Vavá e mesmo as do Fabiano, que são lerdas mas às vezes trazem uma novidade.

  • Obter medalha de ouro na Olimpíada Regional de Matemática.
  • Obter medalha na Olimpíada Brasileira de Matemática.
  • Dominar geometria básica (decorar fórmulas dos volumes dos objetos, por exemplo).
  • Fazer exercícios dos Eureka!s
  • Fazer contas mentalmente mais rápido (exemplo: resolver uma Bháskara mentalmente em menos de 15 segundos)
  • Trabalhar com matrizes.
  • Trabalhar com funções de terceiro grau e superiores.
  • Trabalhar com números complexos.
  • Gabaritar a prova de matemática do vestibular do ITA no final do ano.
  • Prosseguir com treinamento para olimpíadas com o professor Vavá.

Física

Física depois desse ano entrando na minha lista de matérias legais e que eu preciso estudar bastante pra passar no ITA… Vamos à lista…

  • Dominar conceitos básicos e conhecer fórmulas básicas (Newton, Kelpler, Galileu, Einstein).
  • Revisar meu livro de física desse ano (2005).
  • Participar da Olimpíada Brasileira de Física.
  • Participar da Olimpíada Brasileira de Astronomia.
  • Prosseguir com grupo de estudos físicos com o professor Valdir.
  • Acertar 75% da prova de física do vestibular do ITA no final do ano.

Trabalho

Resolvi parar de trabalhar no Colégio, porque o salário era muito baixo (cerca de 200 reais é pouco, mesmo pra trabalhar 10 horas por semana) e o emprego fixo é muito chato (tem dias que eu vou lá e não faço nada, outros dias que tem um monte de coisa pra fazer e eu não consigo acabar nada; fora os alunos que vão lá no Lab. de Informática encher o saco – hehehe). Vou pegar mais freelances e acho que vou lucrar mais me dedicando só a isso e aos estudos, tanto financeiramente quanto nos aprendizados. Mas vou fazer uma proposta ao Colégio que é continuar mantendo o site deles (afinal, eles precisam de alguém pra fazer isso), mas fazer de casa e com isso só perder tempo quando precisar de alguma mudança, em casa!

Compras

Compras prioritárias que estou querendo fazer de livros e acessórios nesse ano… Aceito presentes! :D

Passeios e Cursos

Viagens [sendo] programadas…

  • Campinas – SP: Se tudo der certo, pra visitar meu irmão na UNICAMP e participar do Curso de Programação da OBI
  • Porto Alegre – RS: Fórum Internacional do Software Livre
  • Rio de Janeiro – RJ: Não tem nenhum evento não, mas eu queria conhecer.
  • México: Se tudo der certo, estamos lá na olimpíada internacional!

Música

No ano que vem, quero voltar a fazer aula de piano. Acho que farei com a mãe de uma amiga, que dá aula na ADMITA.


Nesse final de semana fomos pra Curitiba (quem acompanha meu feed viu as fotos no Flickr). Meu irmão Bruno fez vestibular pra música/violão na UNICAMP. Ele não achou a prova muito difícil e falou que acertou uns 80%. Ainda tem mais uma fase de prova de conhecimentos gerais e depois é a prova de aptidão (violão). Acho que ele passa… :)

Alguém tem notícias dos caras da UFSC? Já fizemos a final da Olimpíada Regional Catarinense de Matemática (por que eles não mudam o nome pra quem é de fora saber de onde que é e quem é de dentro não pensar que toda a Região Sul participa da olimpíada?) há dois meses, o ano já vai acabar, e NADA! (nem mesmo o gabarito da prova, mesmo sem o resultado final…)

Sempre que eu escrevo posts grandes, eu me perco no meio. Então se alguma parte ficou difícil de entender ou se tem algum erro de português aí, me avisem! :)

Linux: XDirectFB e Wine

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.


Flash e transparencias XDirectFB

Por dica do Paulo Matias (um amigo que conheci no Curso de Programação da OBI deste ano), instalei um CVS do XDirectFB no meu Linux (patchando o Xorg) e estou curtindo bastante! É um sistema bem rápido (mais rápido que o X normal) e que tem transparências nativas muito legais (e instantâneas). O site é directfb.org e para instalar só precisa do DirectFB e do XDirectFB (tem vários outros pacotes lá, mas que não servem para isso). Coloquei alguns screenshots no Flickr. :) O único ponto fraco do XDirectFB (talvez só a versão CVS) é que eu não consegui configurar o teclado (habilitando Xkb e fazendo tudo “direitinho”, o layout do meu teclado US internacional até funciona, mas aí as teclas direcionais param de funcionar!) e tem um bug um pouco esquisito… (aliás, não sei se é um bug ou eles fazem isso por querer): Quando iniciamos uma seção (startx/xinit) ele continua no console 1 e precisamos dar um CTRL+ALT+F7 para ir para o modo gráfico que ele está abrindo… :blink:

E por falar em fotos no Flickr e em evolução no Linux, eu aproveitei o final de semana também para instalar Wine no laptop e já estou conseguindo rodar programas que antes não funcionavam. Eu consegui rodar o Flash MX tranquilamente (mas antes já tinha conseguido) e ficou mais rápido que antes. Também rodei Twinsen’s Odissey (um jogo bem antigo que não roda no WinXP! Hehehe) sem problema algum e Age of Kings (o segundo da série Age of Empires da Microsoft) por alguns momentos. Com a Radeon configurada direitinho e o Wine também, gostei bastante das emulações.

Eu fiz mais coisas ultimamente, mas foram tantas que resolvi separar em dois posts. Portanto, continuo no próximo… ;)