Arquivo da tag: discordianismo

Calendário santo-discordiano no Fluxbox

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 6 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Acabei de implementar o calendário santo-discordiano no Fluxbox 1.1.1 (última versão).

Link para download do código: fluxbox-ddate-1.1.1-0.tar.bz2

Se você usa Arch Linux, não precisa baixar e compilar manualmente. Basta usar o pkgbuild que o Rev. Beraldo fez para o AUR: aur.archlinux.org/packages.php?ID=40364.

Se você usa Gentoo, não precisa baixar e compilar manualmente. Basta colocar o ebuild que eu fiz num overlay: fluxbox-ddate no Gentoo.

Versões compiladas .deb, .rpm, .tgz etc. e ebuilds, pkgbuilds etc. são bem vindos! Me passem que eu coloco um link aqui!

Como baixar e descompactar

Como você faria com qualquer outro pacote .tar.bz2…

$ wget http://tiagomadeira.com/wp-content/uploads/2010/08/fluxbox-ddate-1.1.1-0.tar.bz2
$ tar xjvf fluxbox-ddate-1.1.1-0.tar.bz2
$ cd fluxbox-ddate-1.1.1-0

Como compilar

Versão simples:

$ ./configure
$ make
$ make install

Versão complicada:

$ export CFLAGS=-O2 -march=native -msse4.1
$ export CXXFLAGS=$CFLAGS
$ ./configure --prefix=/usr --build=x86_64-pc-linux-gnu --host=x86_64-pc-linux-gnu --enable-nls --disable-xinerama --enable-xft --disable-gnome --enable-imlib2 --enable-slit --enable-toolbar --sysconfdir=/etc/X11/fluxbox
$ make -j3
$ make install

Encontre seu meio termo (ou use a simples) e divirta-se!

Como iniciar um Fluxbox

Inicie o X e peça pra ele abrir a versão que você compilou do Fluxbox da seguinte maneira:

$ startx /usr/local/bin/fluxbox -- :1

(Lembre-se de mudar /usr/local para o --prefix que usou no ./configure)

Esta linha funciona dentro de uma sessão do X (abre outra), por causa do -- :1.

Como usar a data discordiana

Clique com a tecla direita no relógio do seu Fluxbox e Edit clock format. Se você usar um formato de data convencional, do falso calendário (como deve estar usando no momento), nada de especial acontecerá. O segredo está no |fnord|.

Quando você coloca um |fnord| no formato, o Fluxbox interpretará tudo que veio antes como formato de data discordiano.

(Para escolher o formato de data ideal, você pode digitar man ddate num terminal.)

Exemplos de uso:

  • Formato: %c → Saída: Sat 28 Aug 2010 11:50:26 PM BRT
  • Formato: %e of %B of %Y|fnord| → Saída: 21st of Bureaucracy of 3176
  • Formato: %d %b %Y|fnord|, %H:%M:%S → Saída: 21 Bcy 3176, 23:50:26
  • Formato: %.|fnord| → Saída: All Hail Discordia!

Dúvidas, sugestões?

Contate a glândula pineal.

Como funciona o código?

O Fluxbox usa a função strftime para formatar a data do relógio. Isso acontece na linha 274 do arquivo src/ClockTool.cc. Modifiquei este trecho do código adicionando cerca de 23 linhas que separam a string do formato de data no |fnord| e passam o que vem antes dele como parâmetro para uma chamada de sistema pro ddate (sim, de fato pra próxima versão é melhor copiar o código do ddate ou reimplementar pra não ter este overhead) e o que vem depois continua indo pro strftime.

Ficou assim:

char s[255], u[255];
strcpy(s, m_timeformat->c_str());
char *t = strstr(s, "|fnord|");
time_string_len = 0;
if (t != NULL) {
	*t = '�';
	sprintf(u, "ddate +'%s'", s);
	FILE *ddate = popen(u, "r");
	if (fgets(time_string, 255, ddate)) {
		time_string_len = strlen(time_string);
		time_string[--time_string_len] = '�';
		fclose(ddate);
	}
	t+= 7;
} else {
	t = s;
}
time_string_len+= strftime(&time_string[time_string_len], 255 - time_string_len, t, time_type);

Known bugs

  1. Colocar ‘ (aspas simples) no lado esquerdo do |fnord| faz com que a data discordiana não apareça.
  2. Requer util-linux-ng e faz uma chamada de sistema ao ddate uma vez por segundo.
  3. Não trabalha ainda com horas métricas.
  4. … me informe se achar mais algum!

Screenshots

Screenshot 0

Screenshot 1

Screenshot 2

Lewis Carroll é discordiano

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Chega de enrolação. Criei coragem para falar e começarei pelo começo, continuarei depois até chegar ao fim e então pararei.

Alice in Wonderland

O Mal Vicioso vem lhes informar por meio deste post que “Alice no país das maravilhas” não é um livro para crianças por ser simples e não fazer sentido algum. Ele é simplesmente brilhante e talvez as crianças sejam as poucas que conseguem compreendê-lo por ainda estarem na ponta dos pêlos do coelho branco.

Qual a relação entre um corvo e uma escrivaninha? Não precisa responder, apenas pense.

O objetivo de Alice não é informar, mas confundir um pouco afim de fazer pensar. A história é uma grande operação mindfuck confabulada em 1894 e provavelmente inspirada pelo posterior Principia Discordia que foi escrito por Mal-2 nos anos 60.

A lógica do autor é absolutamente absurda e os diálogos e poemas nos levam a pensar: afinal, o que é o louco e o que é o padrão?

Nietzsche escreveu em “Além do bem e do mal” que a loucura é algo raro em indivíduos mas que em certas épocas e sociedades é a norma. Talvez nós é que sejamos loucos e os personagens maravilhosos sejam a realidade. Ou talvez sejamos nós os personagens maravilhosos. Quem sabe?

Operação Mindfuck neste sábado!

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Museu histórico de Itajaí

Na expectativa de difundir mais o nome da Deusa em Itajaí, o Rev. Schneider sugeriu que realizássemos mais uma operação mindfuck neste sábado, 23 de junho. A idéia é evocar coletivamente Éris na frente do museu histórico de Itajaí (aquela construção bonita que você pode ver na outra operação mindfuck) para que um busto comece a falar!

Vamos fazer isto sábado de manhã, porque é quando todo mundo sai para fazer compras… Tá todo mundo convidado. Sábado, às 9h00, no calçadão de Itajaí (rua Hercílio Luz), na frente do museu. Tragam seus Principias!

Viva a discórdia, todos salvem Éris!

Cinco evidências de que o Tiago é louco

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Depois do John Chow, do Darren Rowse e do Chris Garrett, eu também vou escrever five things you may not know about me.

  1. Eu nasci há 10000 anos atrás, mas não sou o Raul Seixas. Todo mundo acha que eu sou muito novo pra escrever esse blog…
  2. Ah… Eu sou viciado em números binários. Eu procuro resolver todos os cálculos do dia-a-dia em binário na minha mente, sei lá por quê… Ainda sobre números, eu acredito na maioria das palavras de Pitágoras, entre elas que todas as coisas são números. Como em todo programa comum, nossas variáveis são guardadas em binário. Eu acho que se Deus existe (não Godot, mas alguma força que nos criou), “ele” foi um programador, que não soube programar direito. Eu tenho vontade de reprogramar o mundo.
  3. Eu não acredito na religião e nem na ciência. O meu entendimento do mundo baseia-se em teorias malucas conspiratórias que vem e vão da minha mente. Sou agnóstico e creio que não sei de nada, duvidando que um dia possa saber.
  4. Eu às vezes consigo imaginar eu não existindo. Me fica um vazio por alguns milésimos e depois vem uma dor de cabeça. Eu não sei se eu existo. E eu não sei se tudo isso não é uma conspiração contra mim. Eu sou o centro do [meu] mundo, sou incrivelmente egocêntrico (é óbvio, senão eu não estaria escrevendo tudo isso sobre mim aqui pra todo mundo). Eu vivo pensando besteiras.
  5. Eu não vou escrever um quinto item, porque eu estaria colaborando para o discordianismo e quatro sim é um número exato.

Isso era um dos 21 rascunhos… Enquanto eles estavam aqui na fila, dois (ou mais?) blogueiros brasileiros publicaram uma lista dessas mais rápido que eu. Leia também a lista deles: Rafael e Janio.

Minhas previsões para 2007

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Previsões para a blogosfera, a tecnologia e o mundo

  1. O Cardoso vai ganhar tanto dinheiro que ele vai começar a dividir com quem linka pra ele.
  2. Meu irmão também vai ficar rico (só ganhando de música, tocando violão).
  3. Continuarão havendo mais escândalos como o da Cicarelli e da Britney, os blogs novamente divulgarão tudo em primeira mão.
  4. O Google já descobriu que eu existo. No ano que vem, os bloggers descobrirão.
  5. 2007 será o ano do Linux no desktop! :-) 60% dos desktops do mundo rodarão sob software livre.
  6. A Microsoft vai parar de fabricar software, vai se tornar uma empresa de hardware apenas.
  7. Os discordianistas vão dominar o mundo depois que julgarem e condenarem Godot.
  8. Bin Laden vai reaparecer em algum vídeo vagabundo que será divulgado na Al Jazeera.
  9. Mais pessoas começarão a pensar, graças a este site brilhante sobre filosofia e a nossa sociedade hipócrita.
  10. O Vaticano será alvo de um ataque terrorista, o que colocará a Europa inteira em guerra contra os muçulmanos.
  11. A cura da AIDS será descoberta e será bem simples/barata.
  12. Com John Kerry, não vão mais haver guerras inúteis.
  13. A ONU poderá operar de forma imparcial, sem o poder supremo dos EUA em todas as decisões.
  14. O Brasil fará várias alianças com a Bolívia e a Venezuela. A Argentina também entrará no esquema. O Mercosul vai ser auto-suficiente e a nossa economia vai superar a economia européia.

Previsões que só dizem respeito a mim e meu ego

  1. Não trabalharei, mas estudarei bastante.
  2. Meus blogs começarão a render uns 100 dólares por mês e o Google me pagará mais de mil dólares no ano inteiro!
  3. Eu ganharei uma medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Informática, assim como a Carol, que vai viajar pra Campinas comigo.
  4. Em agosto, visitarei a Croácia representando o Brasil.
  5. Minha equipe (Carol, Kauê, Schneider, Red e eu) vencerá o DNA, com ajuda de um monte de gente, e viajará para um local bem legal com R$ 10.000.
  6. Eu ganharei uma medalha de ouro na Olimpíada Regional de Matemática.
  7. Eu e a Carol vamos completar um ano, o que não é muito importante já que completaremos vários outros depois.
  8. Eu passarei em primeiro lugar em engenharia da computação no vestibular da UNICAMP. Eu também passarei no ITA, mas vou optar por cursar a UNICAMP.

Leia também as previsões de outros blogueiros.

Caos

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

“Eu sou caos. Eu sou a substância da qual seus artistas e cientistas constroem ritmos. Eu sou o espírito com o qual suas crianças e palhaços riem em anarquia feliz. Eu sou caos. Eu vivo, e Eu digo a vocês que vocês são livres.”

[…]

“Digam a humanidade reprimida que não há regras, a não ser que eles escolham inventar regras.”

Hail Eris!

Estou lendo o Principia Discordia… E é muito melhor do que eu imaginava. Achei que fosse mais piada do que religião, mas trechos como esse são muito bons. :-)

“O que é isso?” perguntou um para o outro, Uma religião baseada na Deusa da Confusão? É maluquice desvairada!”

E com essas palavras, cada um olhou para o outro em, absolutamente maravilhados. Omar começou a dar risadinhas. Mal começou a gargalhar. Omar começou a pular pra cima e pra baixo. Mal estava gargalhando e gritando para bater no inferno todo. E entre guinchos de alegria e com lágrimas em seus rostos, cada um nomeou o outro para ser alto sacerdote de sua própria loucura, e juntos eles declararam a si mesmos serem uma sociedade da Discórdia, para o que quer que aquilo pudesse vir a ser.

E um pouco de humor é bom também… Será que eu me divertiria lendo a bíblia?

Semeando a semente da discórdia no mundo… :-) Passem adiante!

Vamos julgar Deus?

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Os nazistas venceram a Segunda Guerra mesmo sem o saber. Eles, sem sombra de dúvidas, provaram que Deus está morto, ou sendo otimista, está fora dos negócios. Com o extermínio sistemático de 6 milhões de judeus – o povo escolhido por Deus em pessoa eles mostraram a quem quiser ver que o Imperador está nú.

Quando Samuel Beckett escreveu “Esperando Godot”, ele estava sendo um pouco sacana e eu digo porquê: “God” como devem saber significa em inglês nada mais nada menos que “Deus”, enquanto o sufixo “-ot” em francês quando acrescentado ao final de uma frase a torna um diminutivo. Este é o motivo pelo qual Carlitos, o principal personagem de Charles Chaplin é Carlot na França. Parto do presuposto de que todos já estão de saco cheio de esperar pelo deusinho. Não trata-se de esperar. Trata-se de processá-lo.

Na verdade, 90% das pessoas em todo o mundo são ateus filhos-da-puta. Desculpe pelas palavras fortes mas quem disse que a verdade não dói? Eles somente dizem “acreditar”, mas tudo não passa de palavras vazias. Eles tem medo de perder todo o benefício social que possuem ao “acreditar” e não precisam se preocupar em serem criativas ou interessantes para serem aceitas na comunidade. Também não deixa de ser uma libertação para todas as crianças que são obrigadas a terem educação religiosa sem nunca tiverem tido uma chance de escolher.

Cada faceta da vida moderna foi planejada e realizada sem que houvesse qualquer meio de suporte invisível. Medicina, corporações, política. Nada disso funciona como se algum Deus fosse necessário a equação. No entanto cada vez mais este conceito tem sido usado para fazer as coisas erradas como se fossem certas. É hora de parar. Vamos julgar Godot.

(Rev. Ibrahim Cesar em “Julgando Godot” no Cabala 1001 Gatos de Schrödinger)

Brilhante, em especial o parágrafo sobre os “ateus filhos-da-puta”. A sociedade cria um Deus para usá-lo a seu favor justificando suas falhas e tornando todos os erros “perdoáveis”. Pouca gente tem coragem de assumir que não acredita em Deus ou que duvida de sua existência. Eu não estou em nenhum dos dois lados, mas vivo pensando e a única conclusão que eu já consegui chegar é que eu acredito num mundo melhor, na divindade das pessoas e na minha existência.

Embora o discordianismo seja ao mesmo tempo uma piada disfarçada de religião e uma religião disfarçada de piada, faço minhas as palavras do Rev. Ibrahim Cesar (não me perguntem quem é esse cara). Eu cheguei a conclusão de que o fato de Deus existir (ou não) não é importante… Por que não podemos apenas viver?

Teoria da conspiração (ou: Hail Eris!)

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Conheci o discordianismo semana retrasada, quando vi uma comunidade no orkut chamada 23 e perguntei ao Schneider do que se tratava. Para me responder, ele sugeriu que eu escrevesse ddate no meu Slackware… E não é que eu tinha mesmo esse aplicativo discordiano?

tiago@laptop:~$ ddate
Today is Sweetmorn, the 49th day of The Aftermath in the YOLD 3172

Depois daquele dia, em todo lugar que eu passo eu vejo uma referência discordiana escondida! Parece que temos muito discordianos entre nós e eles parecem estar tomando conta de tudo, para em breve tomar o poder. Será que eu fui o único a perceber a conspiração? Se era secreto, não duvido que este post suma em algum tempo, porque a Dreamhost também deve ter discordianos!

Mas vejam só… Hoje eu descobri que o Rafael e o Cardoso lêem o 1001 gatos! O Patrick (do Slackware) também deve estar envolvido (pô, o foco da distribuição é simplicidade e ele coloca um aplicativo discordiano nela?). Agora pessoas próximas também começam a se envolver. Acho que vou ler o Principia Discordia pra entrar nessa nova religião agora no início e não ser eliminado depois como o resto do mundo.