Arquivo da categoria: Religião

Fazer teatro de obras de ficção é errado?

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Religion is the root cause of all terrorism

Os manifestantes acreditam que o museu trata a religião de uma forma extremista. Eles reclamam ainda que o local nega a ciência, pois classifica as histórias da Bíblia como uma verdade absoluta.

O Museu da Criação foi desenvolvido por um diretor de um estúdio de cinema americano e traz cenários realistas, bonecos animados de pessoas e dinossauros em tamanho real e muitos efeitos especiais. Os visitantes podem ver uma réplica do que seria a Arca de Noé e até animais que habitariam o mundo quando Adão e Eva foram expulsos do Jardim do Éden, histórias clássicas da Bíblia.

De acordo com a direção, o Museu da Criação é um programa para toda a família e foi planejado com o objetivo de fazer mais pessoas acreditarem que Jesus Cristo existiu e deve ser considerado o criador da vida.

Notícia completa no Terra.

Eu gostaria de saber se por acaso eu sou o único anti-religioso que acho os manifestantes idiotas ou se vocês concordam comigo. Afinal, há algum problema de criar representações de um livro? Isso me lembra aqueles indivíduos que criticam O Código da Vinci por ser uma história inventada. Em algum ponto na história do mundo foi errado criar obras de ficção? Adorarei ler o seu comentário.

Em que Deus você acredita?

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Uma pesquisa do Datafolha publicada hoje na Folha de São Paulo mostra que 97% dos brasileiros acreditam em Deus, 2% são agnósticos e 1% são ateus. Às vésperas da chegada do Papa Bento XVI no Brasil, 64% dos brasileiros se dizem católicos, 10% menos do que numa pesquisa realizada em 1996. 22% são evangélicos, 6% não possuem religião, 3% são espíritas e os outros 5% pertencem a outras religiões.

Acreditar em Deus… A minha professora de história me escreveu há algum tempo uma reflexão muito interessante:

Pessoalmente tenho dificuldades em definir “no que” acredito porque minhas concepções de divindade não condizem com algo que tenha uma forma definida… Não acredito no sagrado como uma coisa, mas convivo diariamente com coisas que, creio eu, são manifestações do sagrado… algo meio panteísta, entende? Não creio em um deus antropomórfico e centralista…creio que sou responsavel por meus atos e não abdico de nada por medo de um juízo final… Tenho dificuldade, no entanto, em definir com exatidão o que seria esse deus-tudo.

Falar em deus é totalmente subjetivo. Deus pode representar bons sentimentos, bons pensamentos, pode representar a humanidade… Creio que o problema da definição são as religiões que transformam Deus num “cara”, no Godot. Na minha humilde opinião, é ridículo temer um ser superior e fingir seguir leis que não são seguidas por ninguém.

Se o nosso país fosse mesmo cristão e católico não precisaríamos de governantes. A religião deveria governar todas as pessoas, porque ela já possui leis suficientes para isto. Vejam os 10 mandamentos, os sete pecados capitais… Para que haver julgamentos na Terra se todos têm certeza do Juízo Final?

Na época do Império Romano, o César era visto como um ser divino. Quando surgiu um cara dizendo ser Deus (aquele tal Jesus), César perseguiu todos os cristãos. Ele, com razão, não queria que adorassem o outro rei e as outras leis. Em 300 um fato que chama a atenção é a quantidade de vezes que os persas chamam Xerxes de divino.

A religião é o ópio do povo. Faz bem ter uma religião, participar de uma comunidade, então as pessoas acabam começando a acreditar em tudo o que é falado para elas… Como disse a Carol, igrejas são locais de paz. Como já disse Leonardo Boff, o problema da Igreja Católica é o alto escalão, mas os padres são pessoas boas que acreditam no que fazem, assim como os reais seguidores (que são menos que metade dos 64%).

Enfim, no que devemos acreditar? Bom… Justamente por religião ser uma crença não há nenhuma certeza. Creio que a religião dominante do nosso país e do mundo inteiro hoje é o cientificismo. Como já disse e repetiu o reverendo várias vezes: se acredita em Deus, não vá ao hospital. Fique em casa orando. Eu gosto da ciência, mas não acho que seja algo exato e acho que existem coisas além da ciência ou pelo menos muito longe de serem descobertas por ela. Então, na minha ingenuidade, prefiro acreditar nas pessoas sem adorar nenhum “deus a nossa imagem e semelhança” e nem um monte de caras loucos de roupa branca e óculos fundo-de-garrafa.

Criando um meme

O Mal Vicioso, melhor blog do Brasil, pela primeira vez resolveu criar um meme. E convida para responder a pergunta “Em que Deus você acredita?” os seguintes amigos blogueiros:

Conservapedia

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Conservapedia: A conservative encyclopedia you can trust.

Conservapedia has over 3,800 educational, clean and concise entries on historical, scientific, legal, and economic topics, as well as more than 350 lectures and term lists. There have been over 633,000 page views and over 15,700 page edits. Already Conservapedia has become one of the largest user-controlled free encyclopedias on the internet. This site is growing rapidly.

Conservapedia is a much-needed alternative to Wikipedia, which is increasingly anti-Christian and anti-American. On Wikipedia, many of the dates are provided in the anti-Christian “C.E.” instead of “A.D.”, which Conservapedia uses. Christianity receives no credit for the great advances and discoveries it inspired, such as those of the Renaissance. Read a list of many Examples of Bias in Wikipedia.

Conservapedia is an online resource and meeting place where we favor Christianity and America. Conservapedia has easy-to-use indexes to facilitate review of topics. You will much prefer using Conservapedia compared to Wikipedia if you want concise answers free of “political correctness”.

Se eu não passasse o link, você teria toda a razão do mundo pra acreditar que é brincadeira minha. Pra mim, tá na cara que isso é plágio da Desciclopédia. Leiam e confiram as pérolas, já aproveitem e adicionem mais conteúdo cristão e americano.

Almas à venda

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

RAFAEL VC É UM IDIOTA AO QUADRADO MANIPULADO PELO CAPETA.A JUSTIÇA DOS HOMENS É FALHA A DEUS NUNCA FALHA E VC GUSTAVO NÃO PASSA DE UM IDIOTA QUE PELO JEITO VIVE GASTANDO O SEU DINHEIRO COM COISAS QUE NÃO ACRESCENTAM NADA NA SUA VIDA.
SOU RENASCER ATÉ MORRER !!! ESPADA PELO SENHOR PELO APÓSTOLO PELA BISPA E PELA RENASCER!!!
AMO ESSE MINISTÉRIO E ENTREGO AMINHA OFERTA SEMPRE QUE POSSO NA IGREJA , INDEPENDENTE DO QUE OS ENVIADOS DE SATANÁS COMO FALAM DA RENASCER.
SOU RENASCER ATÉ MORRER !!!

(comentários de um homem de Deus no Novo Mundo)

Fé e religião

Ao ler estes discursos do “Irmão Henrique”, me perguntei: a partir de quando a religião deixa de ser uma coisa que motiva a viver para tornar-se apenas alienação? Eu não acredito na religião da mesma forma que não acredito na política – pra mim as duas são farinha do mesmo saco. Tenho um ódio especial por essas novas religiões que surgem todos os dias apenas para atrair fiéis e roubar seu dinheiro.

Na minha cidade, um desses homens de Deus é comprovadamente comprador de votos; o criador dessa tal “Renascer” foi preso junto com a sua esposa. Qual o sentido de toda essa lavagem cerebral e como os homens são tão fracos para serem levados por ela?

Aqui em Santa Catarina, tem se popularizado uma igreja hilária chamada Bola de Neve. As reuniões dos “fiéis” (surfistas) acontece em casinhas com pranchas de surf e uma decoração que parece de surfshop. A Wikipedia diz que: Muitas pessoas que freqüentam dizem que assistir o culto é como assistir a um show. Há a inclusão no louvor de vários ritmos musicais, tais como reggae, entre outros.

Pergunto-me: as pessoas vão lá pra rezar ou pra fazer festa?

Não que a idéia de uma religião divertida seja ruim. Eu sou fã do discordianismo! Mas se for pra acreditar numa religião que é uma piada, então pelo menos leve ela na brincadeira!

Estou sem um link de um vídeo de um pastor muito bom que queria colocar aqui. Foi a Carol que me mostrou, quando ela voltar de viagem ela edita esse post pra colocar.

Essas novas igrejas de fanáticos têm atraído ex-usuários de drogas, que em busca de uma vida nova conseguem deixar de usar drogas “por Deus”. É absurdo e irônico. É a troca de um vício por outro. E depois que as pessoas que passaram a vida usando drogas vêm falar com você dando sermões de que você vai pro inferno? Ah, me dêem licença!

No ano retrasado, eu estudava com um protestante que vivia discutindo comigo. Eu é que puxava as discussões, mas é porque queria entender a mentalidade dele. Ele me disse que eu vou pro inferno, porque eu não acredito em Deus. Se eu acreditasse, eu poderia matar quem eu quisesse, cometer o pecado que quisesse, mas iria pro céu. Ele me disse: “Se Deus não existir, e daí? Mas se Deus existir, eu tenho um lugar no céu e você não. Por isso, você devia pensar bem nessa sua decisão.”

Será que todo religioso é assim? Notem que interessante: o cara não acredita em Deus, mas ele morre de medo de não ter um lugar no paraíso (eu acho esse lance de vida eterna muito monótono…) e por isso vive dando sermões e falando de Deus!

Ah!!! E isso tudo sem falar do pastor louco que disse que os blogs são pagãos!

Sei lá… Não vejo nenhum sentido em tudo isso. Hipocrisia de uma sociedade inteira! Faço questão de linkar de novo o primeiro post da Cabala. Pra mim, esse lance de religião trata-se de pessoas inteligentes se aproveitando de pessoas fracas pra ganhar dinheiro. A maioria de quem se diz religioso é laico. E o resto eu respeito, mas não vejo sentido.

Dá pra fazer uma série sobre religião, falando sobre a grana da Igreja Católica, a Inquisição, o preconceito dentro da religião, o conservadorismo que vai contra a própria fé deles, aqueles fanáticos que criticam uma ficção por ela ser muito bem escrita e eles acabarem ficando em dúvida da sua crença, a briga das religiões em Jerusalém, as religiões orientais… Religião só trouxe problema para o mundo ao invés de solução. Aliás, o reverendo já tá fazendo algo assim lá na Cabala.

Eu posso me contradizer se você me der um bom motivo pra acreditar em outra coisa, mas pra mim essas religiões tratam-se de filosofia for dummies. Relaxem religiosos, curtam a vida e sejam felizes!

Pra finalizar, vai de bônus uma animação sobre a história das religiões que vi lá no Sedentário e Hiperativo:

Mundo absurdo

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Ver as estrelas? Quem se incomoda? Quem tem tempo? Quem sabe? Para ver é necessário saber… Aos poucos elas se vão do espaço, pela luz elétrica e pela fumaça. E o céu perdeu o encanto. Os deuses e anjos que lá moravam foram expulsos. O firmamento foi, assim, separado do nosso destino, a não ser para aqueles que ainda acreditam na astrologia… A ciência desencantou, tirou o encanto, a magia, a aura sagrada do universo.

Que distância entre nós e Galileu! Galileu foi levado à Inquisição por afirmar que os astros estavam arrumados de uma forma diferente da tradicionalmente acreditada. E isso fez com que almas tremessem, lá no fundo, porque a ordem do céu estava ligada ao sentido da vida. Hoje, pouco importa como girem os astros, pouco importa que haja buracos negros no universo e que a luz siga caminhos curvos ou retos. As maravilhas e os enigmas do universo nada têm a ver com os caminhos do homem. O firmamento deixou de falar. Dele não mais vêm nem os sinais dos deuses, nem os sinais para os namorados. Tudo ficou frio.

(Rubem Alves em “Filosofia da ciência: Introdução ao jogo e suas regras”)

Será a ciência dos céticos mais lógica que o senso comum? Faz mais sentido acreditar na ciência do que na religião? Por que um monte de teorias válidas até agora são consideradas “verdadeiras” se nem temos como comprová-las e se nem compreendemos como funcionam? E se a qualquer momento alguém pode aparecer e provar que não é verdadeira?

As respostas do cético são tão absurdas quanto as do religioso. Boas mesmo são as perguntas, que só o filósofo é capaz de fazer.

Ainda do Rubem Alves:

Religião, milagres, astrologia, magia: não são todos absurdos que as pessoas de senso comum freqüentemente aceitam?

O que é um absurdo? O mundo de cada um é sempre lógico do seu ponto de vista.

Imagine-se vivendo na Idade Média. A Terra está no centro do universo; nas profundezas está o inferno e o demônio (e seus vapores sulfurosos até escapam pelos vulcões); tudo está calmo, fixo e tranqüilo; lá em cima giram as estrelas fixadas numa esfera cristalina. Todos sabem que essa é a verdade, e a experiência cotidiana o confirma.

Aí um indivíduo diz que a Terra gira em torno de si mesma e em torno do Sol. Isso não é absurdo?

As marés acontecem porque a água é puxada pelo Sol e pela Lua. Mas como? Haverá cordinhas invisíveis? Dizer que é a força da gravitação não resolve, porque é o mesmo que dizer que uma coisa puxa outra sem fios materiais que as unam. Seja honesto: você entende como isso acontece? Se não entende, por que acredita?

Todo mundo sabe que a tendência de qualquer movimento é o repouso. Pêndulos param, bolas param, automóveis sem gasolina param. Mas o princípio da inércia diz que a tendência do movimento é continuar-se, indefinidamente. Isso não soa absurdo?

Anote isso: é a ciência e não o senso comum que parece ser o mais absurdo.