Probabilidade

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 8 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Curiosamente as melhores aulas (em conteúdo e rigor matemático) que estou tendo no IMEUSP neste semestre são as de Introdução à Probabilidade e Estatística I (MAE 121). Digo “curiosamente” porque

0. Nunca gostei de estatística (e acreditava que este seria o foco da disciplina);

1. Álgebra e Cálculo tem um conteúdo que acredito ser bem mais matemático;

2. Sinceramente, não esperava nada desta disciplina.

Surpreendi-me porque, de fato, desde que entramos na matéria de Probabilidade tudo até agora foi definido ou provado formalmente. Por exemplo, espaço de probabilidade é a tripla (\Omega, F, P), onde \Omega é o espaço amostral, F é uma \sigma-álgebra que representa o conjunto dos eventos e P: F \rightarrow [0, 1] é a função probabilidade. Com três axiomas em cima dessa definição provamos uma porção de coisas.

Muito interessante. A probabilidade é uma área que eu desconhecia completamente (e discriminava em pensamento por andar sempre junto com Estatística), mas que é muito mais legal (em nível matemático) do que eu pensava.

Probability and Measure
Creative Commons License photo credit: John-Morgan

4 comentários sobre “Probabilidade

  1. Você deu um pouco de sorte. Estudei no IME e sei que nem todos os professores são mais formais com a matéria. Principalmente quanto tem alunos de vários cursos na mesma sala.
    Só comecei a gostar mesmo de Probabilidade e Estatística depois de ler o livro de Machine Learning do Ian Witten e ver que tudo que tinha visto em aula tinhas umas aplicações muito legais. Desde então sempre tive muita vontade de me aprofundar na área, mas realmente não tenho gás pra fazer outra graduação, ainda mais no IME.

  2. Tiago, eu ainda não tive a disciplina de probabilidade e estatística na faculdade, mas já li um pouco sobre espaços de probalidade e gostei muito, isso porque queria entender um pouco de processos estocáticos ue muito massa e genial. Eu assisti um curso de introdução aos processos estocásticos que teve na escola de verão daqui e gostei muito, apesar de ter entendido bem pouco, porque pra ter um domínio completo desse tipo de processo é preciso dominar teoria da medida e teoria da probabilidade. Na verdade teoria da medida já é bom saber pra entender profundamente a de probabilidade, pois, por exemplo, a partir da primeira é possível saber se podemos ou não atribuir uma probabilidade a um subconjundo do espaço amostral.
    O professor que compara mulheres com a algebra emprestou pra mim um opúsculo do colóquio brasileiro de mtm do impa sobre otimização estocástica, cujo autor se chama Claudio Landim. Achei bem interessante a introdução, até porque é a cara do professor. O livro promete que é possivel otimizar a escolha de uma mulher perfeita por otimização estocástica. Aqui está o começo que já dá uma idéia:
    “Este opúsculo pretende ensinar ao jovem aluno de matemática como escolher ser futuro cônjuge, como selecionar um emprego e mostrar-lhe que com a agual política de natalidade do mundo ocidental, caminhamos inexoravelmente para o desaparecimento da espécie humana”.

  3. boa noite!!!
    poxa gente quem puder me ajudar com esse calculo de probabilidade!!!!

    de quantos modos é possivel lançar 5 dados simultaneamente e observar 2 pares distintos de resultados iguais ?

    desde já grato…

Deixe uma resposta