Opinião pública

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 11 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Encontrei esta passagem de Goethe no estrategema 30 do excelente “A arte de ter razão”.

Dico ego, tu dicis, sed denique dixit et ille:
Dictaque post toties, nil nisi dicta vides.

Ou para os ignorantes entre nós que não lêem latim:

Eu o digo, tu o dizes, mas, ao final aquele também o diz:
Depois que o disseram tantas vezes, não se vê outra coisa a não ser o que foi dito.

Lido durante a aula de matemática…

15 comentários sobre “Opinião pública

  1. É assim que se inventam verdades e que se naturalizam crenças… As palavras tem poder e aqueles que sobem aos púlpitos para proferí-las tem mais ainda…. Ouvir é uma responsabilidade imensa!

    Alguém (não me lembro quem, mil perdões por isso) em algum momento disse: “Você nao precisa ser sábio. Basta parecer…” Triste ironia.

  2. Esse estrategema 30 é justamente sobre essas pessoas que têm poder de manipulação.

    Schopenhauer escreve que se você tem como aliada uma pessoa que o seu adversário respeita e que diz uma coisa, ela é tratada pelo seu adversário como verdade. E o mesmo pode acontecer pra pessoas “falsas” mas com autoridade, que você mesmo pode inventar.

    Segundo ele, pessoas comuns são facilmente influenciáveis quando você fala de especialistas em determinados assuntos…

    Depois ele completa dizendo que essas “autoridades”, referindo-se aos professores, são quem pouco sabe do assunto, pois quem estuda mais a fundo não tem tempo para ensinar.

    É algo que acontece bastante as autoridades parecerem sábias. E realmente na maioria das vezes não são.

    (o caso da minha professora de história é uma exceção, tá? :) hehehe)

  3. relações de poder e saber…
    Foucault sempre ele!
    Mas, nosso amigo Nietzsche nos alerta disso tb…
    esse desejo absurdo pela verdade!
    Essa vontade de verdade …
    ela um dia vai ser a nossa destruição…
    Liberta-se dela é o mais difícil…

  4. AAAAAHHHHH BBBOOOMMMMMM

    Mas o pior é que realmente acontece… Quantas vezes ouvimos afirmações (in) fundadas no que “fulano” disse. Ou aquelas reportagens a lá revista Veja onde os cientistas dizem isso, os cientistas dizem aquilo e pronto…vira moda…ninguém quer saber quem são os cientistas, qual a especialidade deles, qual é a pesquisa em questão, em que centro está sendo desenvolvida…nada. Se o fulano é mestre ou doutor então..nem se questiona… teve um professor, ciêntista social ou filosofo que fez um teste: escreveu um texto usando o nome dele (que é conhecido) e um monte de expressões pós modernas que, juntas não queriam dizer absolutamente coisa alguma..o texto era um amontoado de palavras díficeis sobre nada, publicado em uma revista respeitada. O cara foi aclamado…chamado de inovador e genial…números depois ele escreveu uma nota explicando a “brincadeira”… As pessoas levaram mais em consideração o fato de ele ter escrito do que o assunto sobre o qual ele escreveu… Isso no respeitável meui intelectual…

    Agora vamos tranferir o problema para outras instâncias…quando eu dei aula no Estado, há três anos eu era recém formada e tava precisando de grana…para receber um salário de 900 reais eu tinha em torno de 60 h/aula semanais..isso implica em estar no colégio, em sala, de manhã, de tarde e de noite…5 dias por semana…Como seria possivel preparar uma boa aula, ou me especializar nos assuntos???? Resultado…em dois meses fui obrigada a reduzir minha carga (e meu salário) porque é humanamente impossível!!!!Estava estafada, estressada, irritada e irritante. Essa é a relidade do ensino público e a atualidade do Schopenhauer…
    Agora eu tô no céu…de manhã tô em sala, de tarde estudo, de noite faço minha yoguinha básica e ainda tenho tempo pra dormir, comer e “bloggear” por ai…

  5. sobre a busca pela verdade, tu lembras do que eu li na sala de vcs na terça? o texto do Hermann Hesse fala disso… A gente se preocupa tanto em procurar A verdade absoluta que deixa de experienciar todas as verdades voláteis que nos cercam hodiernamente…

  6. Um dos melhores livros de Schopenhauer e é quase ignorado.No Brasil, Schopenhauer já padece de falta de pretígio, e alguns filósofos sérios daqui vêem livros como esse como “caça-níqueis” e desprezam ele sem nem ao menos dar uma olhada no conteúdo e o desse livro é ótimo.Na verdade todo o cânone Schopenhauriano me causa deleite.Ele praticamente antecipou cada uma das “revoluções” da ciência moderna, só usou outros conceitos.Ele mesmo o disse:
    “Antes ou depois de mim ninguém filosofará tanto em qualidade quando profundidade.Considero-me o imperador secreto da filosofia”, não é exatamente assim, mas é como me lembro.Me contento em ser um dos bobos da corte desse imperador genial.

    ps: Kant é o jurista, Nietzsche um dos cavaleiros e Sócrates,Hume e Fichte nós deixamos vivos.

  7. Cara, estou com medo dessa escola onde vocês estudam.

    A Carol fica pirando sobre religião, deus e bigbang na aula de física e você lê schpenhauer na de matemática.

    Que medo.

    O mais importante que eu fazia em minhas aulas de matemática era ficar divagando sobre essas piras, mas nada muito profundo.

    Sorte que daqui uns dias começam minhas aulas na faculdade. As aulas são grande lugar de inspiração para blogueiros. =D

  8. É mesmo… as aulas boas e as ruins podem render bons posts! =)

    Só pra explicar: eu estava lendo Schopenhauer na sala porque a explicação (sabe como o terceiro ano é foda, né?) começou com “como medir distâncias numa reta numérica”. Exemplo: de -3 a 5 a distância é 8. hueahuehaueaueahu

Deixe uma resposta