Tiago Madeira

Dinheiro

John Chow é O Cara!

John Chow é um blogueiro que está ganhando bem, talvez o suficiente pra viver de um blog. Ele conta em seu blog que ganhou US$ 355 em setembro, US$ 1362 em outubro e US$ 2140 em novembro. Mas John é um sujeito caridoso e ele escreveu que nunca foi sua intenção fazer dinheiro com o blog:

I have decided to donate the income from the blog to my church and other charities. John Chow dot Com is my personal blog and making a profit from it just seems strange to me. Please note, I am not downing anyone who makes money off his or her personal blog – I think that is great.

Então, ele doou US$ 2000 para instituições de caridade e igrejas, para ajudar as pessoas e promover o natal de centenas de pobres.

Assim como o Rafael, não sei o que dizer. Achei que não existissem pessoas assim no mundo. A minha hipocrisia não me permitiria fazer isso com o meu dinheiro.

A atitude de John Chow foi bonita, digna de um louco! :-) Se todos fossem iguais a ele, nosso mundo seria melhor. Ou não? Disse o Rafael na resposta de um comentário que eu coloquei no site dele:

Trabalhamos e temos uma recompensa que é o dinheiro com a qual conseguimos as coisas.

É uma lógica totalmente capitalista e é corretíssima dentro do nosso sistema. Mas será que é certa? Será que podemos/devemos ser diferentes de todo o resto da sociedade?

Comentários

Renato Felipe Atilio

A lógica do trabalho é majoritariamente capitalista, mas tem algumas origens que ultrapassam esse sistema. Na minha opinião, assistencialismo de “dar dinheiro” não é a melhor solução. Você tem que dar condições de trabalho, e não apenas o tipo de trabalho que proporciona dinheiro que por sua vez proporciona bens de consumo, mas também mostrar que ainda é possível uma certa auto-suficiência, onde você planta alguns alimentos, entre outras coisas. A idéia de “recompensa pelo trabalho”, nos moldes atuais, é muito distorcida. Principalmente porque as pessoas tendem a valorizar mais o trabalho intelectual que o trabalho manual, o que gera toda aquele cíclo de exploração que conhecemos (com seu dinheiro de “desenvolvedor” você compra roupas e calçados feitos em regime de exploração pela C&A e Nike por exemplo, ou alimentos onde os verdadeiros produtores (quem planta e colhe, não quem tem os meios de produção) recebem uma ninharia. Ajudar é louvável, mas não é a solução mais inteligente. É colocar um band-aid após amputar a perna.

Renato Felipe Atilio

Ei, Tiago… que tal dar uma melhorada nesse campo de comentário? Queria colocar uns links, dar ênfase, mas não sei se é permitido (e como não tem como ver antes de enviar, não testei). Abraços :P

Rafael Slonik

Não fica só na lógica capitalista. Vai além, atinge até a questão do instinto e das leis da física. Ação e reação: quando você faz qualquer coisa sabe que haverá uma reação. Para mim o mundo está bom do jeito que está. Não poderia estar melhor!

John Artmann

Acredito que o problema não seja bem esse. Existem pessoas que não possuem dinheiro na quantidade ideal para se viver com dignidade e se aproveitam de situações como esta pra conseguir uma quantia a mais, já que, para estas pessoas, todo o dinheiro que está disponivel,desde que não seja por meios ilícitos, virá de bom grado. No entanto existem pessoas, as quais podemos considerar ricas, e que mesmo assim permanecem com suas ganâncias e ambições, tirando dinheiro de tudo e de todos como se o mesmo fizesse falta, enquantos muitos não o têm! Abraços.

Carol Peters

devemos lutar para q as coisas sejam boas para nós ou para um grupo? não penso q dar dinheiro seja a solução, é preciso criar oportunidades, mas isso leva tempo. não deveriamos nos contentar com o nosso mundo bom. se alguem tem q mudar td isso são os pagadores d impostos, q tem q começar a cobrar do seu governo melhorias. se vc tem condições de pagar uma boa escola para os seus filhos deve cobrar para q o estado possibilite estudo ao filho da sua empregada. nós q temos conhecimento suficiente é q deveriamos nos conscientizar e cobrar melhorias para os q não tem esse conhecimento. temos apenas q parar d ser egocêntricos e pensar m ais no coletivo ;]

Tiago Madeira

Concordo com o John. Escrevi sobre essa “necessidade” de ter dinheiro só por ter aqui (num post que gerou 22 comentários até agora… hehehe) Acho que você tá certo, Renato, a idéia de dar dinheiro não é a melhor. Mas veja que a perna já foi amputada… Então o cara tem a chance de colocar um band-aid na perna amputada dos outros ou numa espinha sua; achei o ato dele muito interessante, e promove o natal de muita gente, o que tem bastante valor. Você tem razão em querer mudar a lógica pela raiz, essa é a minha meta. Será que conseguiremos chegar lá? E como? Eu acho que isso é um instinto porque essa lógica já está dentro de nós, Rafael. Eu não acho que a gente precise ser assim. Talvez a gente tenha que ser assim agora porque já estamos viciados nesse “mal vicioso”, com essa exploração do homem pelo homem, com o egoísmo, com a lei da selva, com o “salve-se quem puder”. Mas “bem” e “mal” são relativos… Eu mesmo não doaria meu dinheiro. ;-)

Renato Felipe Atilio

Fugindo um pouco do assunto, gostaria de sugerir um formato diferente ao site. Não em substituição, talvez, mas em adição. Para mim, não é totalmente coerente falar contra o “mal vicioso”, “senhor Capitalismo”, dominação, exploração, ad infinitum… tendo duas pessoas escrevendo, o resto lendo e, embora estes últimos criando um debate em comentários, servindo apenas como “complemento” a um texto inicial. Em um primeiro momento, um blog poderia ser o melhor formato. Hoje, tenho dúvida se não seria melhor um formato mais “debate”, alá fórum, para esse tipo de discussão poder durar mais e não ser interrompida por novos posts.

Renato Felipe Atilio

Hummm… agora que reparei ali em baixo… Legal :)

Tiago Madeira

Eu acho que você tem toda razão quanto ao formato do site, porque o nosso objetivo é criar discussões mesmo e não escrever “artigos”. Eu não tinha pensado na idéia de fazer um fórum, mas é interessante. De qualquer maneira, eu acho legal o blog também, onde a gente posta pequenos textos imparciais com perguntas, para serem respondidas nos comentários; e sempre há uma pergunta nova que você acompanha por um feed e então participa da discussão. Talvez um plug-in de acompanhamento de comentários seja interessante…

Hummm… agora que reparei ali em baixo… Legal :)

É porque eu coloquei agora… ;-)

Carol Peters

por favor, não nos vejam como ditadores, mas como “sugestores”. ;) creio que um blog seja mais organizado que um forum e podemos ir “encaminhando” discussões propondo temas com artigos, o que já dá tbm uma noção do assunto aos leitores, que assim poderão discutir com maior conhecimento a respeito. sintam-se a vontade para nos mandar um e-mail ou sugerir um tema embaixo dos artigos ;}

Renato Felipe Atilio

Tiago: sim, acho interessante o blog, e além dele um “fórum” que não seja um nos moldes phpbb, padrãozinho. Minha idéia é: mais ou menos como é aqui, alguém criará a idéia inicial (que é o tópico inicial), e embaixo (não como comentários, mas como tópicos envolvidos) outras pessoas debatem. A diferença? Qualquer um se torna agente direto da redação, explicitando a liberdade chamado de “fórum” e não de “blog”. Carol: O que é isso, companheiro? Opz, companheira :) De modo algum considero vocês ditadores, embora eu discorde da idéia de que um blog é mais organizado. Entenda minha resposta ao Tiago como uma resposta a noção de encaminhador, também. A diferença é que todos seriam “encaminhadores”, ALÉM de haver o espaço de blog de vocês.

Mal Vicioso » A teoria de Proudhon aplicada ao blog

[…] Daí o que se faz ou não com o dinheiro que se recebe é da conta de cada um. Afinal, nenhuma administração é possível se baseada na coletividade. […]

Tiago Madeira » Aula de paraquedismo

[…] Culpa de quem? Dos políticos, como sempre! Em países com bons representantes do povo, como nos Estados Unidos, os probloggers conseguem um rendimento muito melhor graças a essa facilidade dos paraquedistas de acessarem seus sites. […]

Obrigado! Seu comentário foi enviado e será publicado quando for aprovado.

Infelizmente ocorreu um erro ao enviar seu comentário.