Diálogo entre programas

ATENÇÃO: Este conteúdo foi publicado há 10 anos. Eu talvez nem concorde mais com ele. Se é um post sobre tecnologia, talvez não faça mais sentido. Mantenho neste blog o que escrevo desde os 14 anos por motivos históricos. Leia levando isso em conta.

Continuando a falar das facilidades do Linux, eu ia escrever um post para mostrar como é sensacional a conversa que os programas têm um com o outro no Linux e em outros sistemas baseados em Unix.

Quando eu estava começando, lembrei que o Elcio já escreveu um artigo muito interessante sobre isso há um mês. Então, não vou reinventar a roda. Leiam o artigo dele e vejam se é possível fazer algo parecido no Windows: Streamming e download ao mesmo tempo

Nas palavras do Elcio:

Colocamos para trabalhar juntos três programas diferentes, escritos por pessoas diferentes, e tudo funcionou. As coisas geralmente são assim no Linux, porque os programas Unix são feitos para que você possa usá-los juntos.

Como diz o Falcon, a gente não deve fazer ninguém usar Linux por ser parecido com Windows. O Linux é diferente do Windows e os usuários que vão migrar precisam saber disso e estar cientes de que vão ter que aprender um pouco. Mas é um marketing excelente mostrar as vantagens desse sistema operacional e deixar as pessoas livres para optarem.

Eu acredito na filosofia do Linux, mas, se ele fosse uma merda, eu continuaria usando Windows. Eu uso Linux, porque com ele eu trabalho muito mais rápido e faço uma série de coisas que eu não consigo fazer no Windows.

E quem usa Windows… Por que usa Windows?

4 comentários sobre “Diálogo entre programas

  1. Existem diversos motivos, dentre eles Counter Strike, Ragnarok – enfim *jogos*.

    Tá, existem jogos pra Linux, mas enquanto não existirem os jogos “da moda”, a coisa fica difícil.

    (outra opção é converter os jogadores para o RPG Crossfire, assim como eu fui convertido ^^;;;)

Deixe uma resposta